sexta-feira, 30 de abril de 2021

CANTINHO DA SALA

 

 Alexander Calder - Espiral/1970

Viver é Perigoso

AQUI JAZZ !


Viver é Perigoso

 

Ô LOCO MEU !



EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 041/2021

OBJETO:

REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE BLOCOS DE AUTOS DE INFRAÇÃO DE TRÂNSITO – AIT’S PARA ATENDER A SECRETARIA MUNICIPAL DE DEFESA SOCIAL - SEMDS.

A abertura das propostas será realizada na sede do Município de Itajubá, à Av. Dr. Jerson Dias, nº 500 - Estiva - Itajubá/MG, no dia 12/05/2021 às 14h00min.

Blog: Precisa ver se os blocos não irão ficar mais caro do que o valor arrecadado pelas multas.

Viver é Perigoso

RECOMEÇA MINAS !

                                                            Nascer do sol em Cristina

O Recomeça Minas, plano de recuperação econômica para os setores mais afetados pela pandemia no Estado, foi aprovado em definitivo pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais,  no final da manhã desta sexta-feira (30).

Além de benefícios tributários e facilitação a crédito para diversos segmentos, o plano prevê o pagamento, por quatro meses, de um auxílio emergencial no valor de R$ 600, chamado Força Família, para famílias em extrema pobreza. O valor inicialmente previsto para o benefício era de R$ 500 mensais, mas foi acrescido de R$ 100 durante a votação.

Os recursos para a execução do Recomeça Minas virão de renegociações de débitos de pessoas físicas e jurídicas com o Estado. Serão concedidos diversos benefícios para quem renegociar e pagar suas dívidas.

Os 77 deputados da ALMG são autores do projeto e estimam o recebimento de R$ 2 bilhões em recursos com essas renegociações no primeiro ano do Recomeça Minas. Desses, R$ 500 milhões serão encaminhados ao pagamento do benefício às famílias carentes.

O Tempo

Viver é Perigoso

AGORA VAI !

 


Tudo bem, mas poderia estar na foto, alguma conhecida, alguém da família distante, ou mesmo uma amiga do facebook. E aí ?

Viver é Perigoso

APARENTEMENTE SEM SAÍDA

 

Viver é Perigoso

KIBUTZ EM VARGINHA


Em 1972, o professor Dionésio Thadeu Mariosa, à época  diretor da Escola Estadual Polivalente Wladimir de Rezende Pinto, procurou o prefeito de Varginha, Sr. João Eugênio do Prado, solicitando a doação de um terreno (121.000 m2) para a implantação de um kibutz na cidade. Na oportunidade o professor esclareceu que, o terreno deveria ser da pior qualidade possível, porque iria transformá-lo em terras férteis.

A ideia do kibutz varginhense foi inspirada no kibutz israelense: uma pequena comunidade -  economicamente autônoma com base em trabalho agrícola ou agroindustrial, caracterizada por uma organização igualitária e democrática, obtida pela propriedade coletiva dos meios de produção e da administração conduzida por todos os seus integrantes em assembleias gerais regulares.

O caso aparentemente prosaico da criação do kibutz varginhense ganhou repercussão nacional nas páginas dos jornais O Globo e Estado de Minas .

Evidentemente, as características da organização igualitária do kibutz com base na propriedade coletiva dos meios de produção e a administração realizada por meio de deliberações tomadas em assembleias de seus integrantes, entravam em choque com o ideário político-ideológico do governo militar. Nesse contexto os defensores do kibutz eram considerados suspeitos de subversão. 

O prefeito foi alertado pelo Dr. Estrabão Pereira, Delegado de Polícia, o qual pediu o máximo de cautela, pois, poderia haver qualquer intensão  subversiva na implantação do Kibutz. 

Fim do primeiro Kibutz do Brasil.

Viver é Perigoso 

REUNIÃO COM EMPRESÁRIAS - GISELE PARA PRESIDENTE

 


Viver é Perigoso

AGORA AGUENTA !



A associação Médicos pela Vida está sendo processada pelo MPF por publicar manifesto defendendo o “tratamento precoce” contra a Covid. Os procuradores pedem R$ 10 milhões de indenização por dano moral coletivo, quando entende-se que uma parcela da sociedade é afetada por determinado ato. Caso a entidade seja condenada, o valor a ser pago será usado em projetos sociais e de saúde a serem definidos pelo Judiciário. A ação foi apresentada depois de propaganda paga pela associação e veiculada pelo jornal Zero Hora, do Rio Grande do Sul, em 23 de fevereiro deste ano.

Conforme comentado, a "profissão da hora" pós pandemia, certamente será a de advogado. Não darão conta do serviço. O que vai aparecer de gente se sentindo prejudicado de uma forma ou outra, por medidas tomadas e principalmente, por não tomadas, vai ser uma grandeza.

Dentro em breve estarão oferecendo cursos online sobre o tema "ações pós - pandemia" com relações de jurisprudências firmadas, etc. 

Aguardem.

Viver é Perigoso