quinta-feira, 6 de maio de 2021

MOMENTOS MÁGICOS

 Viver é Perigoso

Ô RAÇA !


Ninguém mais contra o impeachment do Bolsonaro do que os sempre citados candidatos à presidência em 2022. Todos os adversários e inimigos do Capitão querem a  fustigação e o consequente desgaste do Capitão na CPI. Irão alongar prazos e esticar a corda no limite.

Já os aliados do Capitão, tipo "centrão", neo-evangélicos, bancada da bala, querem benesses, cargos e vantagens em troca da defesa. Quanto mais acusações, melhores condições de vantagens.

Os inimigos almejam o desgaste. Os "amigos" buscam vantagens.

Interesses apenas. 

Podem crer: Em ambiente fechado todos sorriem com o canto dos lábios.

Viver é Perigoso 

HORA DO PATO


Quem serviu ao exército sabe muito bem o que era isso. "Hora do Pato".

Terrível ver o seu nome na lista fixada no quadro de avisos da Companhia. Significava a obrigação de comparecer ao escritório do Capitão Comandante, para se explicar.

Coturno mal engraxado, cartão de cabelo vencido, barba mal feita, e assim vai... Hora do Pato.

Aquela tentativa de se justificar, seguida de uma esculhambação geral. E tudo isso, segundo o Capitão, na frente da mãe. Esclarecendo, no caso a "mãe" era a Bandeira Nacional.

Não tinha escapada. O sujeito (soldado) saía da "hora do pato" com punição. A mais leve era a obrigação de pernoite (apresentar-se às 21:00 para dormir no quartel". Um pouco mais grave era a detenção. Sair na rua, nem pensar. Por último e mais raro: cadeia.

Pelo visto, em se tratando do General, teremos uma prolongada e movimentada "Hora do Pato" na CPI do Senado Federal.

Viver é Perigoso


RELAÇÕES COMPLICADAS


As relações entre a China e a Austrália têm estado muito tensas desde que o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, pediu no ano passado uma investigação internacional sobre as origens da epidemia de covid-19.

A China, primeiro país afetado pela pandemia, considerou o pedido hostil. Como resultado, no ano passado a China tomou medidas de retaliação econômica contra mais de uma dúzia de produtos australianos, como cevada, carne bovina e vinho.

A China anunciou hoje (6) a suspensão de parte de sua cooperação econômica com a Austrália, decidindo suspender indefinidamente o "Diálogo Econômico Estratégico Sino-Australiano" e "todas as atividades" relacionadas ao acordo.

Com o devido respeito, torna-se oportuno lembrar a brincadeira com a tradicional empáfia de nossos hermanos argentinos:

Después de una consulta dentro del PJ, Argentina envía un mensaje a La Republica Popular China:

"Chinos de mierda: les declaramos la guerra; tenemos 105 tanques, 47 aviones sanos, 4 barcos que navegan y 5.221 soldados".

Los chinos les contestaron: "Acceptamos la declaración; tenemos 18.000 tanques, 1800 aviones, 190 barcos y cinco millones de soldados".

A lo que los Argentinos les contestaron: "Retiramos declaración de guerra. No tenemos suficientes camas para los prisioneros".

Viver é Perigoso

VENTOS DE GUERRA


1 -  COLÔMBIA

As reivindicações dos manifestantes são variadas: melhores condições de saúde, educação, segurança nas regiões, cessação dos abusos policiais contra manifestações, entre outros.
As mobilizações foram em sua maioria pacíficas, mas em algumas cidades tornaram-se violentas. De acordo com dados oficiais contados até terça-feira, pelo menos 24 pessoas morreram. ONGs denunciam que a polícia atirou contra os manifestantes e que as mortes ultrapassam 30 pessoas.

2 - RIO DE JANEIRO

A Polícia Civil realiza hoje uma operação contra o tráfico que atua na comunidade do Jacarezinho, na zona norte do Rio. A ação deixou ao menos 25 mortos —um agente baleado na cabeça e outras 24 pessoas que, segundo a polícia, seriam suspeitas. A identidade delas contudo não foi divulgada. Dois policiais foram feridos —na perna e de raspão no braço. Dois passageiros ficaram levemente feridos ao serem atingidos dentro de uma composição do metrô na região da estação Triagem.

Viver é Perigoso

AGORA É QUE NÃO VAI



Vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, o CNPq é a principal agência de fomento à pesquisa do País. Ao lado da Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Ensino Superior (Capes), órgão responsável pela fiscalização e avaliação do sistema de pós-graduação, o CNPq também é um dos pilares do sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação.

Desde o início do governo Bolsonaro os dois órgãos vêm passando por graves dificuldades financeiras.

Agora, o CNPq anunciou que, por causa de cortes orçamentários impostos pelo governo, teve de fazer um corte drástico na concessão de bolsas de doutorado e pós-doutorado aprovadas com base em pareceres técnicos emitidos por seus comitês de assessoramento.

Das 3.080 propostas aprovadas nas diferentes áreas do conhecimento, e cujos beneficiários já haviam sido informados em 15 de março, o CNPq só poderá financiar 396 – cerca de 13% do total. O critério de escolha privilegiou as propostas que receberam as maiores notas. As outras 2.684 propostas, que envolvem dez categorias de bolsas no Brasil e no exterior, não serão implementadas.

Com valor de R$ 2,2 mil mensais por um período de quatro anos, tempo que leva a formação de um doutor, e de R$ 4,1 mil mensais por um período de dois anos no caso de pós-doutorado, as bolsas do CNPq são fundamentais para produção de ciência de ponta e ciência aplicada no Brasil. Os doutores em formação são oriundos, em sua grande maioria, das melhores universidades públicas do País.

Outro lado do problema é a ausência de recursos para financiar pesquisas em andamento sob responsabilidade de cientistas que foram formados com apoio financeiro de agências públicas de fomento, como o CNPq. Sem condições de trabalho, é cada vez maior o número de jovens cientistas que estão deixando o País.

Opinião do Estado

Viver é Perigoso

DE TODO O JEITO É TRISTE


Todo mundo sabe que o ex-ministro Pazuello anda nervoso com a sua convocação para depor na CPI do covid-19. Aliás, só nervoso é uma maneira otimista de dizer.

Amigos, vêm aconselhando Pazuello a comparecer com sua farda de general, atrelando sua imagem à do Exército para, assim, desencorajar os parlamentares que teriam questionamentos mais duros.

Informações dão conta que o comando do Exército já sinalizou preferir que o general se apresente à comissão em trajes civis, de modo a não associar o evento à Força.

Viver é Perigoso

LÁ VAMOS NÓS

 

Não dá mais. Vamos cair na estrada.

Viver é Perigoso