Translate

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

E VAMOS EM FRENTE

 


A Justiça Federal em São Paulo considerou nulas as provas obtidas na Operação Porto Seguro da Polícia Federal, que investigou um suposto esquema de venda de pareceres em órgãos do governo federal, e encerrou ações penais do caso que tinham como réus a ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo Rosemary Noronha, o ex-senador Gilberto Miranda e o ex-advogado-geral adjunto da União, José Weber de Holanda Alves.

Viver é Perigoso



UFA !!!



Ainda bem :

O grupo de senadores que forma a maioria da CPI da Covid decidiu retirar do relatório de Renan Calheiros o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro pelas supostas práticas dos crimes de genocídio de indígenas e homicídio qualificado.

Permaneceram, atribuídos ao Sr. Bolsonaro, apenas os crimes :

Homicídio qualificado,
Infração de medida sanitária preventiva
Charlatanismo,
Incitação ao crime,
Falsificação de documento particular,
Emprego irregular de verbas públicas,
Prevaricação,
Crime contra a humanidade,
Violação de direito social,
Incompatibilidade com dignidade e honra e decoro do cargo.

Se somadas as penas dos crimes atribuídos pelo senador Renan Calheiros descritos no relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia, o presidente da República Jair Bolsonaro poderá ser condenado a até 100 anos de prisão, caso seja levado às cortes internacionais.

Viver é Perigoso

MILAGRE DA RESSUSCITAÇÃO


 Viver é Perigoso

terça-feira, 19 de outubro de 2021

LIVRO, PRESENTE DE AMIGO



Descubra como a sua mente funciona para construir uma vida mais feliz.

Em "Eu controlo como me sinto" Editora Planeta, a neurocientista Claudia Feitosa-Santana ensinará como você pode construir uma vida melhor por meio da ciência. 
Ao adquirir conhecimento sobre como sua mente funciona, você terá mais chances de controlar seus próprios sentimentos e alcançar o tão sonhado bem-estar. Com este livro, você aprenderá a ser protagonista da sua própria história – sem vitimismo, conformismo nem procrastinação. 
O conhecimento científico sobre as emoções, os sentimentos e a razão podem ajudar você a ser o líder da sua vida, mesmo diante de obstáculos e adversidades. 
Nesta verdadeira jornada pela mente humana, Claudia ensinará você a se entender melhor, conhecer a mente e suas atitudes, aprender a lidar com as outras pessoas, tomar boas decisões e construir uma vida feliz – um passo de cada vez.

Alegria: Os pais da Claudia são os amigos Dalva e Luís Feitosa - Santana.

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

 


Foram alguns milhares de quilômetros de expedição na Amazônia, no Pantanal, no Cerrado e na Mata Atlântica ao longo de um mês. O artista paulistano Mundano, de 36 anos, testemunhou a devastação de biomas brasileiros de perto.

Em equipe, ele colheu cinzas e coletou restos de árvores transformadas em carvão pelo fogo. O resultado foram 220 quilos de resíduos de incêndio, em parte transformados em mais de 50 tonalidades de tinta cinza, utilizada na produção do mural gigante “O Brigadista da Floresta”.

Trata-se de uma releitura de “O Lavrador de Café”, de Cândido Portinari, voltada a denunciar a devastação ambiental de biomas brasileiros.

Com 46 metros de altura e mil metros quadrados, a obra ocupa a fachada lateral de um edifício na Rua Capitão-Mor Jerônimo Leitão, nas proximidades da Avenida Prestes Maia, no centro de São Paulo. 

Viver é Perigoso

JÁ FICOU !

 

Viver é Perigoso

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

FINAL DOS TEMPOS



A Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor do Paraná (Procon-PR) publicou uma orientação, na quarta-feira (13), para que ossos de boi sejam doados, e não vendidos, em estabelecimentos comerciais.

Indicação ocorreu após uma placa sobre a venda de ossos de boi, por R$ 4 o quilo, gerar polêmica, em Santa Catarina. O local foi autuado pelo Procon, e o cartaz foi retirado.

Conforme o Procon-PR, a orientação levou em consideração a população ter passado a comprar ossos de boi e carcaças de frango e peixe em açougues e supermercados, para complementar a alimentação, devido a alta dos preços dos produtos que compõem a cesta básica.

No documento, a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho orientou que os supermercados e açougues do estado: "abstenham-se de vender ao consumidor final, ossos de boi, carcaças de frango ou peixe, sendo recomendada apenas sua doação".

Viver é Perigoso

EU ME AMO !



Os Beatles fazem parte da nossa vida. Sem dúvida, de um jeito ou de outro. Desde sempre, o meu preferido foi o George Harrison. Ringo Star simpático. Lennon, encrenqueiro admirado. Embora reconheça a sua arte, nunca fui muito com o Paul McCartney.

Está aí na Plataforma Star + o documentário "McCartney 3,2,1", onde em seis episódios de 30 minutos, em torno de uma mesa de som, Paul conversa com o produtor Rick Rubin. É o maior vazamento de ego da história do pop. 

Lendo e concordando inteiramente com o Jornalista e escritor, Joaquim Ferreira dos Santos, sobre o tema. A sua vaidade (do MacCartney) era maior que a franja.

Atentem só para as observações destacadas pelo jornalista Joaquim:

- Paul diz ter assumido a bateria em “Back in the USSR” por suspeitar que Ringo não conseguiria fazer o ritmo. 

- Na gravação de “Taxman”, ele tentou ensinar George Harrison como deveria ser a guitarra, e levou um “então toca você”. Paul é sincero: “Eles me odiavam”. Quem não?

- O único elogio a John Lennon é em “All my loving”, por ele manter durante três minutos o dedilhar repetitivo da guitarra de marcação. 

- O trompete piccolo, a cereja orquestral de “Penny Lane”, só está ali porque, na véspera da gravação, Paul  viu um na orquestra que executava na TV um “Concerto de Brandemburgo”.

- George Harrison, coitado!, é reverenciado apenas por ter cedido o solo de “While my guitar gently weeps” a Eric Clapton. 

- Paul admite que aprendeu com Roy Orbison a dar um grande final para as canções, uma nota de tal jeito forte que não restasse outra coisa ao público se não levantar e aplaudir. 

- Aos colegas da banda, nenhum agradecimento. Tudo eu. Olha só essa palheta que usei para realçar a percussão do baixo em “Dear Prudence”. 

- É um pote até aqui de mágoa. Diz que Lennon nunca o elogiou, e aproveita o ensejo para a recíproca. Distribui farpas e salda a dívida. “Here, there and everywhere”, compôs enquanto esperava John, mais uma vez dorminhoco, nem aí para o trabalho. 

Paul vibra com o próprio talento. 

Viver é Perigoso