segunda-feira, 17 de maio de 2021

OUTROS TEMPOS


Viver é Perigoso

 

EQUILÍBRIO ?

Aqui na terrinha, segundo os números da PMI, estamos relativamente bem atendidos. 

38.551 vacinas recebidas para a população de 97.334 = 39,6 %.

Em Pouso Alegre, 57.277/152.549 = 37,54%

Deu no jornal O Tempo:

O processo de distribuição de vacinas promovido em Minas Gerais tem gerado uma grande insatisfação por parte de prefeitos e pessoas que necessitam do insumo para se protegerem do coronavírus. Para muitos, há interesses na metodologia adotada para a distribuição do insumo entre os municípios.

Quem olha para o Vacinômetro da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) percebe que cidades com perfis populacionais parecidos estão recebendo quantidades de vacinas contra a Covid bem diferentes.



Viver é Perigoso

ATUALIZANDO


Esta overview foi produzida pelo Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital Sírio-Libanês.

RESUMO

Objetivos: Mapear as revisões sistemáticas de ensaios clínicos randomizados e quasi-randomizados sobre os efeitos da hidroxicloroquina/cloroquina e identificar aquelas com maior qualidade metodológica e maior confiabilidade em seus resultados.

Métodos: Revisão de revisões sistemáticas (overview) que consideraram ensaios clínicos randomizados ou quasi-randomizados. A busca foi realizada em 11 de maio de 2021 nas bases MEDLINE (via PubMed), Embase (via Elsevier) e Cochrane Library (via Wiley). O planejamento e a condução da revisão seguiram o Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions considerando as seções relevantes para uma revisão de revisões sistemáticas. O relato desta revisão foi elaborado de acordo com o Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA 2020) Statement, com adaptações pertinentes para uma overview. Para os resultados e conclusões foram priorizadas as revisões sistemáticas de maior qualidade (AMSTAR-2), com busca mais recente, e com comparações diretas.

Resultados: Após a análise de 5.785 referências, foram incluídas 14 revisões sistemáticas avaliando o uso de hidroxicloroquina/cloroquina para tratamento e/ou prevenção de Covid-19, considerando o cenário ambulatorial ou hospitalar. Três destas revisões preencheram os critérios de priorização e contribuíram com os resultados e as conclusões desta overview.

O uso de hidroxicloroquina para o TRATAMENTO de Covid-19 (i) resultou em pouca ou nenhuma diferença na mortalidade (evidência de alta certeza), (ii) provavelmente aumenta o risco de qualquer evento adversos e não reduz a necessidade de ventilação mecânica (evidência de moderada certeza), (iii) pode ter pouco ou nenhum efeito sobre o risco de eventos adversos graves (evidência de baixa certeza) e (iii) seu efeito sobre o tempo até a melhora clínica ainda é incerto (evidência certeza muito baixa).

O uso de hidroxicloroquina para a PREVENÇÃO de Covid-19 (i) provavelmente resulta em pequeno aumento ou pequena redução do risco de ter Covid-19 confirmada laboratorialmente (evidência de moderada certeza), (ii) resulta em pouca ou nenhuma diferença na mortalidade e na taxa de hospitalização (evidência de alta certeza) e (iii) provavelmente aumenta o risco de qualquer evento adverso e de eventos adversos que levam à descontinuação do tratamento (evidência de moderada certeza).

Conclusões: Com base nas três revisões sistemáticas mais recentes, com melhor qualidade metodológica e considerando comparações diretas, não foram identificados benefícios em desfechos clinicamente relevantes de eficácia e ainda há possibilidade de maior risco de eventos adversos com o uso hidroxicloroquina/cloroquina quando comparados ao placebo, nenhuma intervenção ou terapia de suporte, tanto para prevenção quanto para o tratamento de Covid-19.

Acesse a versão na íntegra: [Overview_HCQ_Covid19_150521_final]

Citar como: Martimbianco ALC, Bagattini AM, Riera R, Pacheco RL. Eficácia e segurança da hidroxicloroquina/cloroquina para prevenção e tratamento de covid-19: revisão de revisões sistemáticas (overview). Disponível em: [Overview_HCQ_Covid19_150521_final]. Acessado em [acrescentar dia, mês e ano].

Viver é Perigoso

ONDA DE VIOLÊNCIA


Dias antes do primeiro foguete ser disparado de Gaza na semana passada, um esquadrão de policiais israelenses entrou na mesquita de Al Aqsa, em Jerusalém e cortou cabos dos alto-falantes que transmitiriam orações aos fiéis de quatro minaretes medievais.

Era a noite de 13 de abril, o primeiro dia do mês sagrado do Ramadã. Era também o Dia da Memória em Israel, que homenageia aqueles que morreram lutando pelo país.

O presidente israelense Reuven Rivlin, fazia um discurso no Muro das Lamentações, local sagrado judaico que fica abaixo da mesquita e as autoridades israelenses temiam que as orações o abafassem.

A batida policial em um dos locais mais sagrados do Islã foi uma das várias ações que levaram, menos de um mês depois, à repentina retomada da guerra entre Israel e Hamas. O incidente com o alto-falante foi seguido por uma decisão da polícia de fechar uma praça popular fora do Portão de Damasco. Os jovens palestinos geralmente se reúnem ali à noite durante o Ramadã.

Já no dia 7 de maio, policiais israelense promoveram uma batida na mesquita de Al-Aqsa, com gás lacrimogêneo, bombas de efeito moral e balas de borracha. Os palestinos revidaram com pedras.

Outra disputa aconteceu no dia 10 de maio - Dia de Jerusalém, com nacionalistas judeus marchando pelo bairro muçulmano da Cidade Velha, tentando visitar o Monte do Templo.

Pouco depois começaram os lançamentos dos foguetes.

Eterno barril de pólvora.

Net

Viver é Perigoso 

SERIA O NOSSO CASO ?



"A fundação da Rússia ocorreu quando as populações eslavas que habitavam a região de Nóvgorod (próxima a atual São Petersburgo) chamaram príncipes escandinavos para governá-las. Seus representantes foram ao além mar, ter com os Vikings na Escandinávia e disseram: Nossa terra é grande e farta, mas não há ordem nela. Vinde reinar e governar-nos."

"Narrativa dos tempos passados - crônica monástica de autoria indefinida, compilada na segunda década do século XII no Monastério das Cavernas, em Kiev - Como ler os russos".

Viver é Perigoso

SOBRE ISOLAMENTO NA PANDEMIA


" Tem alguns idiotas que até hoje ficam em casa."

Bolsonaro 17/5

 Postado por um amigo no Facebook :

O que é isso Capitão ? Como irei continuar dizendo que "estamos juntos" ?

Viver é Perigoso