Translate

sábado, 21 de maio de 2022

TEMPOS MODERNOS - PET *


Ouvido na Boa Vista, é claro:

- Camarada, sou do tempo que a expressão "eu não sou cachorro não " era um desabafo. Pelo presenciado hoje, "eu não sou cachorro não" se tornou uma expressão de lamento, de queixa.

 - É a vida... 

* Ao que tudo indica ‘pet‘ surgiu, por volta do fim do século 14, na Escócia e norte da Inglaterra com o sentido de ‘animal domado‘. No entanto, há registros de que em 1530 ela já era usada no sentido de ‘animal favorito‘ [animal de estimação. 
Ninguém afirma com certeza, porém acredita-se que ‘pet‘ tem sua origem ligada à palavra ‘petty‘, que era usada em 1393 com o sentido de ‘small‘ (pequeno). 

Viver é Perigoso

sexta-feira, 20 de maio de 2022

ENQUANTO ISSO...



Enquanto almoçava com o Jair, Musk via as ações de sua fabricante de carros elétricos, a Tesla, despencar quase 11% na Nasdaq. O tombo equivale a uma perda de mais de US$ 70 bilhões em valor de mercado — e quase um quinto dessa grana evaporou do patrimônio de Musk, seu principal acionista.

Viver é Perigoso

TOMOU O BARCO



Evángelos Odysséas Papathanassíu, simplesmente Vangelis, foi um músico grego dos estilos neoclássico, progressivo, música eletrônica e ambiente. 

Suas composições mais conhecidas são o tema vencedor do Oscar de 1981, com o filme Chariots of Fire, a trilha sonora do clássico Blade Runner, do filme biográfico de Cristovão Colombo, 1492 - Conquest of Paradise, com a música instrumental "Conquest of Paradise". É conhecido também pelo uso de sua música na série da PBS, Cosmos, de Carl Sagan.

E claro, de One More Kiss Dear, que sempre está no "Viver é Perigoso". 

Nascido em Vólos, Vangelis começou a compor desde os quatro anos de idade, tornando-se um grande autodidata da música. O músico recusou as tradicionais aulas de piano, e durante sua carreira não tinha muito conhecimento para ler ou escrever partituras. Estudou música clássica, pintura e direção na Academia de Artes em Atenas.

Na época do Motim dos Estudantes em 1968 mudou-se para Paris e fundou a banda de rock progressivo Aphodites Child com os integrantes Demis Roussos, vocalista, e Loukas Sideras. São conhecidas na Europa, como também no Brasil, como canções de sucesso: "Rain and Tears", "Marie Jolie", "It’s Five O’Clock" etc.. O grupo se desfez em 1972

Em 1992, a França o condecorou como Chevalier Order of Arts and Letters.

Vangelis estava hospitalizado na França, quando tomou o barco na última terça-feira (17), aos 79 anos.

Viver é Perigoso

GERAÇÕES DIFERENTES

Curiosidades de dias gelados.

Lula é de 1945 e caminha para os seus 77 anos. Já sua mulher Janja, é de 1966 e completará 56 anos. Vinte e um bons anos de diferença.

Jair é de 1955 e está com seus 67 anos. Dona Michelle, sua mulher, é de 1982 e completou 40 anos de idade. Vinte e sete anos os separam.

Em 1966, quando Janja nasceu, Lula já estava no movimento social no ABC.

Em 1982, quando Michelle nasceu, o Tenente Jair cursava a Escola de Educação Física do Exército e acompanhou o nascimento do seu segundo filho, Carlos.

Quando Janja nasceu, Lula ouvia no rádio, Roberto Carlos cantar "E que tudo mais vá para o inferno".

Quando Michelle nasceu, Jair ouvia pelo rádio Dalto estourar nas paradas como "Muito Estranho".

Em 1966, quando Janja nasceu, Lula chorou as mágoas com a eliminação do Brasil na Copa de 1966, com a derrota para Portugal.

Já, quando Michelle nasceu, em 1982, o Tenente lamentou os três gols do italiano Paulo Rossi que eliminou o Brasil no mundial da Espanha.

Conclusão: Devem ter muitas lembranças.

Viver é Perigoso



ÓIA NÓIS AÍ MANO !


“Sabe quantos eleitores se recusam a votar tanto em Lula quanto em Jair Bolsonaro? 

Como eu desconhecia a resposta, perguntei para Felipe Nunes, da Quaest. E ele, gentilmente, calculou para mim (e para os leitores desta coluna), cruzando os dados de sua pesquisa mais recente, realizada alguns dias atrás.

O resultado é espantoso: 22%. 

Esse é o percentual do eleitorado brasileiro que rejeita ambos os candidatos. Ou 436 entrevistados de um total de dois mil. 

Os analistas costumam se concentrar nos 59% de eleitores que jamais votariam em Jair Bolsonaro ou nos 43% que jamais votariam em Lula. 

Mas há também esse imenso contingente transversal de 22% de eleitores que se recusam a votar em qualquer um dos dois – e que nem aparecem nas pesquisas

Esses 22% de eleitores, por mais desorganizados que sejam, constituem uma base sobre a qual construir uma espécie de sociedade paralela, semiclandestina, em que cada um resiste à barbárie cultivando o próprio jardim”.

Escreveu o Diogo Mainardi

Viver é Perigoso

SISI-FU

O mito de Sísifo fala sobre um personagem da mitologia grega considerado o mais inteligente e esperto dos mortais.
Entretanto, ele desafiou e enganou os deuses e, por isso, recebeu um castigo terrível: rolar uma grande pedra montanha acima por toda a eternidade.

O MESMO CASTIGO RECEBEU O ELEITOR BRASILEIRO.


Viver é Perigoso

quinta-feira, 19 de maio de 2022

TUDO DOMINADO



Lembro-me da adorada Vó Virginia, moradora da Quintino Bocaiúva, no Morro Chic, é claro, comentar ao tomar contato com um rádio portátil, tipo saboneteira, da marca Mitsubishi.

- Onde iremos parar ?

Lendo hoje o Francisco Iglesias no jornal "Estado de Minas" sobre tecnologia wearable. 

É uma palavra em inglês que significa algo como “dispositivos de tecnologia para vestir”. São roupas, calçados e acessórios inteligentes que agregam tecnologia de ponta e praticidade. Estes acessórios, sejam, por exemplo, na forma de relógios, pulseiras ou óculos são carregados por sensores que se conectam a outros aparelhos ou à internet.

A tecnologia wearable é uma nova etapa na evolução da indústria dos dispositivos móveis.

Os wearables funcionam como extensão de nosso corpo, diferentemente do que ocorre com os smartphones. São equipados com sensores que registram o que comemos, vemos e sentimos. Conseguem captar as sensações de bem-estar ou de estresse. Monitoram os nossos batimentos cardíacos e ritmos respiratórios, e facilitam a comunicação com o ambiente onde estamos inseridos.

A utilidade dos wearables para os cuidados com a saúde é inegável. Os diagnósticos estão cada vez mais precisos e permitem que os usuários tenham conhecimento do problema com antecedência. Já se encontram em desenvolvimento dispositivos voltados para detectar diversos tipos de câncer, para prever o risco de diabetes e de doenças do coração, mesmo antes de o usuário se submeter a exames médicos.

Outra utilidade dos wearables para a vida cotidiana é facilitar a comunicação. O Google está trabalhando numa tecnologia que permite quebrar as barreiras linguísticas. No dia 11 de maio, o Google revelou ao mundo novos óculos que traduzem conversas em tempo real. Os óculos, chamado de “legendas para o mundo”, permitem traduções para conversas envolvendo inglês, mandarim, espanhol e linguagem de sinais americana.

Um passo importante para a segurança nas estradas são os brincos para vibrar e avisar aos motoristas que seus dados biométricos indicam que eles vão cair no sono em breve e que precisam fazer um intervalo.

A grande polêmica dos wearables é relacionada à confidenciabilidade da coleta dos dados, pois nem sempre está claro quais informações estão sendo coletadas e nem como.  

Viver é Perigoso

NA TERRA, MAIS ALTO, IMPOSSÍVEL



O alpinista brasileiro Gabriel Tarso, da vizinha Guaratinguetá (SP), alcançou pela segunda vez o topo do monte Everest, no Nepal, a 8.848 m de altitude, na manhã do último domingo (15). Além de ser um feito que chama a atenção por si só, Gabriel virou notícia no Brasil ao exibir um cartaz com os dizeres “Fora Bolsonaro”.

Gabriel Tarso conquistou o pico mais alto do mundo pela primeira vez em 2021. Mas desta vez decidiu politizar o feito.

O monte Everest já foi escalado 10.657 vezes desde que os primeiros alpinistas chegaram a seu topo, em 1953, tanto do lado nepalês quanto do tibetano, segundo o site especializado Go
Outside. Ao todo, até hoje, 311 pessoas morreram tentando alcançar o topo.

Blog: Não concordamos com cartaz. Deveria estar inscrito: Fora Jair !

Viver é Perigoso