sábado, 5 de outubro de 2019

EL PAÍS


Como todos sabem, o El País é um jornal diário espanhol fundado em 1976, no período de transição para a democracia, após o fim do Franquismo.

Por razões profissionais desde os anos 90 procuro ler o El País. Com o advento e explosão da internet se tornou mais fácil. Busco-o diariamente e às vezes me incomoda um pouco a linha de esquerda assumida desde sempre pelo jornal. Mas no geral, vai. É bom a gente ler opiniões divergentes. Nos faz abrir os olhos (ou fechar). 

Interessante de ler a entrevista da diretora do jornal, Soledad Gallego-Diaz concedida à Folha de São Paulo. Segundo a Sra. Soledad, o jornalismo é o único instrumento capaz de formar cidadãos.

Confirmou a linha de centro-esquerda do jornal e a adoção de de um posicionamento muito crítico ao presidente Bolsonaro, julgando que no momento isso seria necessário.

O El País está muito feliz com a sua grande penetração no Brasil via internet. Segundo ela, uma estupenda surpresa. 

Sobre o seu distanciamento pessoal da chamada "rede social", Dna. Soledad expressou uma grande verdade : 

"as redes sociais servem apenas para que as pessoas se expressem de forma rápida. E vivemos numa época em que vale a pena pensar um pouco antes de reagir. Creio que, se eu me expressar rapidamente sobre qualquer coisa, eu mesma desconfiarei de mim. Não custa nada refletir um pouco antes de postar o que for."

Em tempo, prefiro ler o El País na sua versão para a espanha. A versão brasileira anda muito radical, à esquerda" para o meu gosto.

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

É melhor ler o NI, ou IN ? Eu heim&€