domingo, 17 de setembro de 2017

FAZENDO ESCOLA


Maiores informações na nossa edição da próxima semana:

Uma ação da Vigilância Sanitária impediu que a chef Roberta Sudbrack comercializasse cerca de 160 kg de linguiças e queijos artesanais em seu estande no Rock in Rio.

Os alimentos eram provenientes de pequenos produtores que não possuíam o selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), chancela obrigatória para a comercialização de ingredientes de origem nacional.

O episódio ocorreu na noite desta sexta-feira (15) e veio à tona após a chef manifestar sua indignação em um post nas redes sociais.

"Os fiscais invadiram meu estande e entenderam que não era um produto que poderia ser comercializado. Até aí tudo bem, mas pedi para que 160 kg de comida de boa qualidade, comida que já vendi no meu restaurante, não fossem jogados fora", disse. ​Segundo a chef, os fiscais arrancaram as embalagens e jogaram os alimentos no lixo, inviabilizando o consumo.

Sudbrack afirma que preencheu uma ficha técnica de procedência dos produtos e os submeteu para a análise do setor alimentício do Rock in Rio, que deu o aval para a venda. "Inclusive nos elogiaram", disse.

"Eu já gastei mais de R$ 200 mil para participar, contratar pessoas para participar de uma operação. Eu não sou louca, não faria uma coisa irresponsável comigo e com a minha empresa em tempos difíceis".

Segundo Sudbrack, poucos produtores conseguem adquirir o selo e o procedimento para consegui-lo não é claro. "Eu trabalho com esses fornecedores há pelo menos 20 anos, eu não acordei semana passada e resolvi usar seus produtos". (Folha de São Paulo)

Viver é Perigoso

6 comentários:

Anônimo disse...

Sabia que estava em desconformidade, foi contar com a sorte, resultado: dançou! Se tem Lei, tem que cumprir! Não adianta vir com esse papo de "simples selinho", "simples chaminé", etc. Ou, então, muda-se a Lei. E não adianta vir com essa balela de que tem que inspecionar todo mundo. É por amostragem, mesmo!

Edson Riera disse...

Amostragem,

Continuo achando o processo de amostragem usado na terrinha com pouca TRANSPARÊNCIA.

Zelador

Anônimo disse...

E eu continuo achando a Transparecia com muito pouca AMOSTRAGEM.
Já responderam às perguntas do vereador?
(Aurélio: Amostrar (a+mostrar): dar a conhecer, pôr às claras).

Edson Riera disse...

Aurélio,

O Presidente da TI, Eng. Wander Machado fez na Câmara Municipal uma ampla explanação sobre a ONG, sua constituição e atividades. Ficou claríssimo.
Quase recebeu uma Moção de Congratulação.

Na semana passada, tive a honra de receber a visita do, para nós da Boa Vista, Tio Wander, desde priscas eras. Falou sobre a TI deixou cópia de um relatório completo para nosso conhecimento. Vamos falar sobre o assunto.

Zelador

Anônimo disse...

Tio Vander que se cuide. Vem mais retaliação por aí.
Itajubense com vergonha

Edson Riera disse...

Itajubense com Vergonha,

O Tio Wander foi preso, quando das eleições, no ano passado, denunciado pela atual situação. Ele não tem nada o que temer. Luta pelo o que acredita. Ah! não é proprietário de nenhum comércio. Seus sobrinhos são donos do Café do Vadinho (que era seu cunhado), mas o local, pela importância e categoria é inatingível.

Zelador