quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

INACREDITÁVEL !


Nos últimos anos, nada me chateou mais, em se tratando de coisas da terrinha, do que a retirada, pelo Sr. Prefeito Municipal, do já exíguo e quase sempre feito com atraso, do pagamento (isso mesmo, pagamento - é responsabilidade do município) de R$ 160 mil /mês para o Pronto-Socorro da nossa Santa Casa de Misericórdia.

Na última sexta-feira, conversei longamente com um amigo especialista na área. E coloque especialista nisso. 
Disse-lhe no final da conversa que decepcionado e consciente de que nada fará mudar a posição do Prefeito (o seu estilo próprio tem demonstrado que qualquer comentário diferente de suas decisões, faz com que ele recrudesça em seu posicionamento).

Caso perdido pelo menos até as próximas eleições.

Porém, com a leitura hoje da edição semanal do jornal Itajubá Notícias, com entrevista com o Dr. Fabio Montanari, Diretor Executivo do Hospital (ex-Escola) de Itajubá, fomos levados a voltar ao assunto, talvez, pela última vez.

Esclarecedora a entrevista. Confirma-se, que desde que entrou no governo (6 anos), zero de reajuste do pagamento municipal tanto para a Santa Casa Misericórdia, quanto para o Hospital. Por motivos diversos a situação é crítica.
Talvez o Executivo Municipal imagine que salários, insumos e serviços, permaneceram congelados nesse longo período. Para piorar, para a Santa Casa e Misericórdia, é claro,o pagamento mensal foi reduzido.

Incoerências á parte ( o competente Secretário da Saúde Municipal e o leal porta-voz do prefeito no Legislativo dizem que o não pagamento ao Pronto Socorro da Santa Casa foi devido a não prestação de serviços pela greve parcial ocorrida - justamente por atraso dos pagamentos pela prefeitura - já o Senhor Prefeito afirma que é por estratégia, etc, etc ), ou temos uma visão curta demais, talvez prejudicada pelo sentimento que nos une a Casa Santa, ou o Executivo Municipal tem uma visão futurística de longuíssimo prazo, que nós, simples mortais, não podemos alcançar.

Descartada a possibilidade de falta de recursos. Aí estamos assistindo um extraordinário e jamais visto gastos/ investimentos em lazer. Mais apropriados para tempos de "vacas gordas. 

Concluindo, para não falar mais nisso. O povo de Itajubá e das cidades circunvizinhas está sendo tremendamente castigado. O Hospital carregará nas costas a responsabilidade por não dar conta à contento do atendimento em termos de pronto-socorro. Desgastes diários. A Santa Casa está sendo prejudicada em muito.

E o pior para uns e melhor para outros: Passivo político sem precedentes assumido pelo Prefeito, seus candidatos, inclusive os seus deputados, federal e estadual, uma vez que toda a micro-região está sendo açoitada pela equivocada decisão. 

Em tempo, pelo que entendi na conversa e na leitura da entrevista, o desvio dos R$ 160 mil, da Santa Casa para o Hospital, de nada ou pouco adiantará para atenuar o sofrimento dos enfermos nas salas de espera.

Daqui a dois anos voltaremos, ou não, a falar do assunto.

Viver é Perigoso  

    

2 comentários:

Anônimo disse...

Excelente resumo. Como sempre. Uma hora o povão além da internet vai acordar. observador da cena

Edson Riera disse...

Observador de Cena -

Desta vez fiquei abalado.

Zelador