sábado, 22 de setembro de 2018

DE OLHO NAS PESQUISAS (E NA INTERNET)


Os políticos, principalmente os mineiros, independente de partidos, lealdade e compromissos, estão, ou colocam os seus assessores, de olho nas pesquisas eleitorais que se tornaram quase diárias. Em nível federal, alguns candidatos já foram abandonados.

Os peemedebistas, aliás, jamais mencionaram o Meirelles. O desconhecem por completo. Numa imaginada visita até Itajubá, o candidato correria o sério risco de tomar um cafezinho, solitário no Vadinho. 

Esse negócio de câmeras fotográficas embutidas no celular pode mais atrapalhar do que ajudar. Sabe-se lá o custo no futuro de uma fotografia, com todos sorridentes, tirada por um dos componentes da mesa do congresso (situada exatamente à entrada do café).

Já o Bolsonaro, certamente, seria recebido pelos poderosos da terrinha. Sabe lá...questão de educação, cortesias e claro...pesquisas. O difícil seria um contato físico. Os contatos pós-faca e o assédio dos evangélicos tornariam a missão quase impossível. Conversas particulares, só passando pelo crivo do embaixador local bolsonarista. Um grande amigo médico e homem de visão.  

Marina, talvez conseguisse encontrar com o Dinarte (Câmara Municipal), dependendo muito da agenda dele. Talvez o Dr. Zambrana e um ou outro antigo ecologista. 

Ciro, na certa, não sairia do calçadão sem arrumar umas duas encrencas das boas, com ameaças e palavrões. Possivelmente não teria a presença de ninguém em sua companhia, exceto uns dois frequentadores da "boca maldita).

O Amoedo em visita, seria recebido pela Leandra, familiares e parcela mais refinada (politicamente) da população. Nem pensar em Vadinho. Camisetas cor-de abóbora prevalecerão no Xodó, Cesários ou mesmo um Japonês da Avenida BPS. Talvez o ideal seria a realização de um chá.

O Andrade do Lula seria recebido com muito barulho. Os petistas são rápidos em providenciar ajuntamentos humanos sindicais de forma profissional. Logicamente, devidamente alimentados. Muito vermelho. Á frente, Ulysses, Odair, Celinha (sempre simpática), Leontino e algumas saudosas professoras. Certamente, dois ou três grupos de trabalho criados especialmente para traçar a visita, definirão o local do oba-oba. Ou Vadinho (muito elitizado) ou proximidades do Mercado Municipal.
Podem crer: aquele cara com a máscara do anonymous, pode muito bem ser o Fernando Pimentel. 

Mas nem imagine o tumulto que provocaria uma visita do Anastasia. Seria escoltado pelo Prefeito, pelo Presidente da Câmara, pelo Reitor, dirigentes das entidades parceiras, secretários e vereadores. Hajam selfies. Saia justíssima ? Se o Anastasia trouxer à tira-colo o Alckmin (em total desespero é capaz de chegar até Itajubá) como aconteceu esta semana em Pouso Alegre.

Praticamente, em todos os casos, ouviremos promessas e desenvolvimento tecnólogico, empregos, conclusão do aeroporto, duplicação da BR - 459, verbas para o Laboratório de Alta-Tensão, etc, etc. etc.

Esse negócio de câmeras fotográficas embutidas no celular pode mais atrapalhar do que ajudar. Sabe-se lá o custo no futuro de uma fotografia, com todos sorridentes, tirada por um dos componentes da mesa do congresso (situada exatamente à entrada do café).

Viver é Perigoso





   

4 comentários:

Anônimo disse...

Romeu Zema, Leandra, outros candidatos a estadual, assessores e simpatizantes laranjas estiveram na semana no café/praça. Selfies e filmagens. Gente boa/bonita. Boas propostas.

Edson Riera disse...

Boas Propostas -

Estão fazendo um milagre saindo quase do zero. Tudo para serem protagonistas na política brasileira pós o próximo governo. Nós conseguimos transformar as eleições num flaxflu sem craques, com pernas-de-pau comandados dos "vestiários" e muitos com estilo "felipe melo".

Zelador

Anônimo disse...

Oh, glorioso Zelador!
Não nos esqueçamos que além de tirar fotos os smartphones podem gravar áudios e ligações...😉

Edson Riera disse...

Glorioso -

Desde antes dos smartphones o Zelador procura só falar e escrever o que pode assinar embaixo. Não por virtude, etc, etc. Simplesmente por ser mais fácil de levar.

O ruim é que pessoas do mal fazem montagens e declarações fora do contexto.

Mas, viver continua perigoso.

Zelador