quarta-feira, 14 de março de 2018

MOMENTOS MÁGICOS



Sempre faz lembrar a história da chegada de uma orquestra cover do Perez Prado em um Clube do interior de Minas.
Todos os músicos foram passando pela rigorosa portaria portando seus instrumentos.
Um penetra, que não era sócio e não queria pagar o caro ingresso, tentou passar pelo porteiro, como se um dos músicos fosse.
Barrado e questionado sobre o seu instrumento, bateu de prima :
- Sou o cara do "Uhh"
Teve o acesso liberado.

Viver é Perigoso

3 comentários:

Wartao disse...

Eu sou o cara do “uhh” é demais kkkkkkkk

Edson Riera disse...

Wartão -

Uhh! Abraço

marcos.caravalho disse...


Uma vitrola (isso mesmo, vitrola, aquelas dentro de um móvel), um álbum de capa dura, folheável, daqueles que os viajantes passavam pela porta do armazém vendendo: uma coleção variada de sucessos.

Gravados em 78 r.p.m., cabia de tudo: samba, seresta, chorinho, salsa, rumba, chá-chá-chá, aqueles bolerões que grudaram na memória como se colados com superbond.

Meu pai, ouvinte eventual (me parecia à época; hoje, sei que não. Tinha antenas mais longas e sensíveis - ouvia de longe o que ouvíamos sentados defronte a vitrola) mas atento à educação dos filhos comprava.

Perez Prado presença constante. Mambos, onde era fundamental o UHHH!!!
Outro gênio, Beny Moré.

E por aí vai nossa carrocinha de realejo adulto.
Dentro da memória, no fundo do coração.