terça-feira, 22 de agosto de 2017

É A VIDA...


Durante certo tempo tive a oportunidade de estar próximo, ser recebido em audiências e conversar outras tantas vezes com políticos que exerceram ou ainda exercem funções importantes.

Nunca senti total confiança em quase nenhum deles. Afinal, eram políticos de sucesso e nessa profissão o tempo sempre é sujeito a chuvas, trovoadas e por vezes, sol.

Com o Dr. Eduardo sempre foi diferente. Ele conversava pausado, olhava nos olhos, atencioso, boa memória e transmitia seriedade e confiança. Estive com ele muitas vezes. A última delas no seu gabinete de Deputado Federal em Brasília. 

Diferente da forma como vejo todos os outros políticos que frequentam os jornais, continuo tendo a mesma impressão do nosso ex-governador. Lamento e sinto tristeza por vê-lo em dificuldades perante a lei.

Na primeira instância, em decisão de novembro de 2015, Eduardo Azeredo foi condenado a 20 e 10 meses de prisão por lavagem de dinheiro e peculato.

O ex-governador de Minas Eduardo Azeredo deverá ser julgado hoje em segunda instância, em Belo Horizonte, por participação no esquema que ficou conhecido como mensalão mineiro.

Segundo as investigações do Ministério Público Estadual de Minas, Azeredo, como governador do Estado, participou do desvio de R$ 3,5 milhões de estatais, como a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), para sua campanha pela reeleição em 1998, disputa que perdeu para Itamar Franco.

Os recursos foram repassados pelas empresas de publicidade de Marcos Valério, já condenado a 37 anos de prisão pela participação no esquema.

Hoje, ele atua como consultor da Federação da Indústria do Estado de Minas Gerais - Fiemg.

É a vida...

Viver é Perigoso

2 comentários:

Anônimo disse...

Zezinho Riera,

Não se iluda, o camarada entrou na política vira corrupto, ladrão, sem vergonha, falso , hipócrita, recebe um viru$$$$$ maldido que o de$$$$$troi.
Não tem jeito é o $i$tema, a pessoa enfraque$$$eeee.
No mais político ganha muito e perde muito, acaba que, não tem amigo,não tem família, não tem mãe, não tem escrúpulos, o ser humano pra ele ou é inimigo ou é instrumento dele, nada mais.
Quando morre passa a maior parte do tempo no purgatório, pois realmente a política deturpou seu corpo e alma de tal forma que é preciso muito purgatório pra ele seguir.

Fanta$$$$$$$$$$$$$$ma

Edson Riera disse...

Fanta$$$$$$ma,

É a vida. Concordo em grande parte, considerando a política atual. Quem entrou e ainda não sabe de tudo, rapidamente irá saber. Se tiver o privilégio de ter princípios sólidos, deixará tudo, e pior, enojado.
Caso tenha estômago e certa flexibilidade, digamos assim, segue aos trancos e barrancos.
Caso seja um pulha nato, seguirá adiante.

Infelizmente.

Zelador