segunda-feira, 5 de abril de 2021

MOMENTOS MÁGICOS


John Fogerty (Creedence) disse uma vez que concebeu os compassos de abertura de "Proud Mary", em imitação da Quinta Sinfonia de Beethoven. É uma associação incomum para uma música sobre um barco a vapor, mas funciona como um gancho de blues rock clássico. A maioria das pessoas diria, no entanto, que a música não chegou de verdade até que Tina Turner começou a cantá-la no fim de 1969. De fato, a música de trabalho do álbum Bayou Country, do Creedence Clearwater Revival era "Born on the Bayou".

"Proud Mary" ajudou Tina a voltar aos palcos após uma tentativa de suicídio no ano anterior. Sua versão, lançada como single em janeiro de 1971, plantou as sementes de sua libertação como artista e mulher, trazendo um grande sucesso de crossover para Ike e Tina. Sua versão da música chegou ao número 4 na parada pop da Billboard, vendeu mais de 1 milhão de cópias e rendeu a Tina o primeiro de seus 12 prêmios Grammy. Veja ela, Ike e as Ikettes cantando ao vivo na TV italiana, acima.

É uma parte tristemente irônica de sua história que o sucesso de "Proud Mary" também ajudou Tina a comer o pão que o diabo amassou em um relacionamento abusivo com seu parceiro musical e marido Ike por mais cinco anos, até que ela finalmente o deixou em 1976.

mdig

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: