sexta-feira, 23 de outubro de 2020

OUTROS TEMPOS

 


Tornou-se uma discussão política. 

Trump, em sua campanha eleitoral, chega a comentar a necessidade de que os países sejam indenizados pela China, origem do covid-19.

Comentamos outro dia o livro "A Grande Gripe" - John M. Barry, que trata com impressionante nível de detalhes, a Gripe Espanhola de 1918, que tragicamente assolou o mundo. 

A origem da pandemia de gripe espanhola têm sido controversa. Uma hipótese é que a estirpe do vírus se originou nos Estados Unidos, em Fort Riley - Kansas, em vírus de aves e suínos criados para serem utilizados como alimentos. À medida que as tropas norte-americanas se mobilizavam em massa para o esforço de guerra na Europa, elas levavam consigo a gripe espanhola.

Não se tem conhecimento de pedidos de indenização. 

A doença foi observada pela primeira vez no condado de Haskell - Kansas, em janeiro de 1918, levando o médico local Loring Miner a avisar o Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos. 

Em 4 de março de 1918, o cozinheiro Albert Gitchell, do condado de Haskell, relatou estar doente em Fort Riley, uma instalação militar dos Estados Unidos que na época treinava tropas norte-americanas durante a Primeira Guerra Mundial, fazendo dele a primeira vítima registrada da gripe. 
Em questão de dias, 522 homens no campo declararam estar doentes. Em 11 de março de 1918, o vírus chegou ao Queens, Nova Iorque.

A epidemia chegou ao Brasil em setembro de 1918. O navio inglês "Demerara", vindo de Lisboa, desembarcou doentes no Recife, em Salvador e no Rio de Janeiro. No mesmo mês, marinheiros que prestaram serviço militar em Dakar, no Senegal, desembarcaram doentes em Recife. Em pouco mais de duas semanas, surgiram outros focos em diversas cidades do Nordeste e em São Paulo.

As estimativas variam quanto ao número total de pessoas que morreram vitimadas pela gripe espanhola. Uma estimativa de 1991 alega que a pandemia matou entre 25 a 39 milhões de pessoas. Em 2005, uma estimativa reportou o número de mortos em provavelmente 50 milhões.  Uma reavaliação em 2018 estimou o total em cerca de 17 milhões. Com uma população mundial de 1,8 a 1,9 bilhão, tais estimativas correspondem a entre 1% e 6% da população.

Viver é Perigoso

2 comentários:

Anônimo disse...

"O presidente Jair Bolsonaro não conseguirá se livrar da China para disponibilizar vacinas aos brasileiros: o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) da vacina de Oxford, principal aposta do governo federal, é fabricado em um laboratório naquele país.De acordo com informações prestadas ao Congresso pela própria Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), 15 milhões de doses do IFA virão da China para o Brasil em dezembro, para a fabricação das primeiras doses da vacina desenvolvida por Oxford no Instituto Bio-Manguinhos, ligado à fundação."
E agora José.....que zomba dos outros.....está sem discurso.....não veio a utopia....sua incoerência,seu ódio — e agora José? Lembrei-me de trechos do poema de Carlos Drummond de Andrade

Anônimo disse...

Interessante, parece q quem administra a Fiocruz é a petezada, sera? Sei não!