quinta-feira, 16 de abril de 2020

ALÉM DA IMAGINAÇÃO


O Prefeito de Itajubá informou hoje que a cidade possui 28 leitos de UTI. Com equipamentos de ventilação mecânica e aparatos. Do total, 20 estão no Hospital e 8 na nossa Santa Casa de Misericórdia. Não adiantou quantos estão ocupados.

Só lembrando que se trata dos recursos para atendimento de toda a nossa micro-região. Oremos, pois.

Até o momento, a política adotada de distanciamento social vem sendo correta, salvo algum contra- tempo aqui e outro ali.

Ficamos assustados e incrédulos, quando o chefe do executivo local, anunciou a montagem de um hospital de campanha no ginásio poli esportivo da Unifei, quando todos sabemos da existência de um andar inteiro, praticamente pronto na nossa Santa Casa.

Caso essa pirraça não cesse quando estamos diante do maior episódio médico dos tempos modernos, nunca cessará.

Estamos diante de uma das maiores teimosias já vista na cidade. Executivo de costas viradas para uma centenária, competente e séria instituição de saúde.

O belo e oportuno discurso do Senhor Prefeito sobre solidariedade, humildade, responsabilidade, precisa urgentemente vir para a prática.

Sobre reclamações sobre postagens e comentários críticos nas redes sociais, fazer o quê ? O cidadão luta contra uma maioria absoluta de vereadores dependentes e lhe resta o esperneio.

Escantear a Santa Casa e priorizar um improvisado hospital de campanha ?  Tenham paciência.   Uma opção derradeira a ser tomada após o esgotamento de todas as possibilidades existentes.

Viver é Perigoso   

4 comentários:

Anônimo disse...

Ainda temos outra opção: Hospital de campanha,do Exército! Ta na hora!

Anônimo disse...

Coisa de criança rica e mimada que nunca precisou trabalhar pra sustentar a família.

Anônimo disse...

Na entrevista dada ontem na radio Futura, o prefeito disse que um ventiladir mecânico custa de setenta mil a cento e trinta mil reais. Na verdade custa R$40 mil. Porque para a prefeitura de Itajubá tudo é mais caro?

Marco Antonio Gonçalves disse...

Temos um problema sério de comunicação. O prefeito só fala com veículos que não questionam e sempre ficam dúvidas.
Quantas pessoas estão internadas por covid na cidade? Qual a porcentagem de leitos ocupados? Quantos testes a prefeitura tem disponível e quantos foram feitos? Porque fazer um hospital de campanha caro e não destinar para o pronto-socorro da Santa Casa que já está preparado e tem profissionais, além da UTI pronta, mas sem equipamentos? E mais uma série de perguntas que precisam ser respondidas.
Em todos os pronunciamentos ele cita a palavra "talvez": "E nós estamos criando um hospital de campanha no Poli da Unifei. Vamos chegar num total de 50 leitos, talvez". "Lá vai ter vai ter mais de 20 ou 26 leitos, talvez". Não existe talvez.
Ele ainda critica a imprensa "nagativista". A população precisa de respostas. Saber só o número de casos confirmados não basta, mas essa administração está há 7 anos fugindo de questionamentos.