domingo, 19 de novembro de 2017

DISSERAM


"Em política, a comunhão de ódios é quase sempre a base das amizades".

Charles Tocqueville

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA



Viver é Perigoso

AS DUAS FACES DA GLÓRIA


Repórter desde os 16 anos de idade, William Waack foi correspondente de guerra em nove conflitos e cobriu alguns dos maiores conflitos e cobriu alguns dos maiores eventos internacionais das últimas décadas: Revolução do Irã, a queda do Muro de Berlim, o fim da União Soviética, entre outros. Durante mais de duas décadas atuou como correspondente internacional na Alemanha, na Grã-Bretanha, no Oriente Médio, na Rússia e nos Estados Unidos.
Passou por algumas das principais redações do país, como Veja, Jornal do Brasil e O Estado de São Paulo. Na Rede Globo, desde 1996.
Duas vezes ganhador do Prêmio Esso de jornalismo por sua cobertura da Primeira Guerra do Golfo, em parceria com Helio Campos Mello, e pelas revelações dos arquivos em Moscou sobre a Intentona Comunista de 1935 no Brasil, tema de seu livro "Camaradas".
William Waack formou-se em jornalismo na USP e em ciências políticas, sociologia e comunicações pela Johannes Gutenberg Universitãt de Mainz, Alemanha, com mestrado em relações internacionais.

Interessante de ler o livro "As duas faces da glória - A FEB vista pelos seus aliados e inimigos", escrito pelo William Waack, que faz um relato original e polêmico sobre a participação dos brasileiros na 2ª Guerra Mundial. Fugindo das velhas verdades oficiais e do ufanismo nacionalista, Waack apresenta a visão dos outros a respeito dos brasileiros.

Waack, um admirado jornalista que, nos bastidores da TV, cometeu um erro ao fazer um comentário desnecessário e ofensivo. Errou, como todos erram.

Não merecia passar por esse fuzilamento. Que se desculpe e siga adiante.

Viver é Perigoso 

EMBARCARAM EM 2017


O designer londrino, Chris Barker, publicou uma versão da capa do LP dos Beatles Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club, com pessoas famosas, na versão dele, que tomaram o barco neste ano de 2017.
Possível identificar, além do bonè vermelho do Trump, do Oscar e do Coelhinho da Playboy:

Mary Tyler Moore (atriz norte-americana)
Bill Paxton (ator norte-americano que apareceu em Titanic e O Exterminador do Futuro)
John Surtees (piloto britânico, o único que ganhou o mundial de Fórmula 1 e de motociclismo)
Fats Domino (cantor e pianista norte-americano)
Sam Shepard (dramaturgo norte-americano, Pulitzer em 1979 por Buried Child)
Al Jarreau (cantor norte-americano de jazz fusion)
Miguel Ferrer (ator norte-americano, RoboCop e NCSI: Los Angeles)
Richard Hatch (ator norte-americano, Battlestar Galactica)
Jake LaMotta (boxeador norte-americano que inspirou Touro Indomável)
Anita Pallenberg (modelo e atriz italiana, conhecida como a musa dos Rolling Stones)
Clifton James (ator norte-americano, xerife Pepper nos filmes de James Bond)
Martin Landau (ator norte-americano, ganhador do Oscar por Ed Wood)
Charlie Murphy (humorista norte-americano e irmão de Eddie Murphy)
Jerry Lewis (comediante norte-americano, O Rei da Comédia)
Hugh Hefner (editor norte-americano, fundador de Playboy)
Harry Dean Stanton (ator norte-americano, protagonista de Paris, Texas)
Chuck Berry (músico norte-americano, pioneiro do rock and roll)
Adam West (ator norte-americano, o primeiro Batman da televisão)
Tom Petty (músico norte-americano)
John Hurt (ator britânico, protagonista de O Homem Elefante)
Roger Moore (ator britânico, James Bond de 1973 a 1985)
Glen Campbell (cantor norte-americano country)

Entre outros. É a vida...

Viver é Perigoso

A INEVITÁVEL POLÍTICA


A sociedade está despertando para a política. 
Finalmente está descobrindo que todos nós somos políticos, até quando queremos ficar longe da política.

A omissão é uma atitude política. 
Votar em branco é uma ação política. 
Falar mal de políticos é um ato político.
Não querer falar de política também é um ato político. 
Tudo é política, mesmo quando não queremos que seja.

A política nos envolve e nos sufoca praticamente desde que nascemos. E termina sendo algo inescapável. 

Assim como a morte e o nascimento, a política é uma das poucas questões inevitáveis da vida. Podemos até evitar a vida em sociedade, mas nunca nos livraremos da política. Pois ao nos livrarmos da vida em sociedade estamos mandando uma mensagem política. Ela é como uma sina que nos persegue. E nem adianta desligar o noticiário quando o volume de informações políticas ultrapassa o necessário e se torna uma pregação fundamentalista.

Imagine se alguém decidir não falar sobre política. Ou nem sequer votar. Ou virar morador de rua. Ou invadir um espaço público, tomar banho na fonte da praça, viver de caridade e dormir embaixo de pontes ou viadutos. Tudo o que fizer vai ter repercussão, com maior ou menor intensidade, e sempre será uma expressão política.

Murillo de Aragão

Blog: Somos contrários a existência de políticos profissionais. Uma desgraça.

Viver é Perigoso

ESTE MUNDO É MUITO MISTURADO


Há 50 anos, no dia 19 de novembro de 1967, tomava o barco Guimarães Rosa. Também num dia 19 de novembro, só que de 1979, em Manaus, descobri e não esqueci mais, que viver é muito perigoso. Fui protagonista de um acidente de trânsito com perda total do carro. Saí arranhado, mas caminhando.
O nome do Blog foi tirado da admiração pelos escritos do grande escritor mineiro.

“Viver é muito perigoso: sempre acaba em morte”.

“O real não está no início nem no fim, ele se mostra pra gente é no meio da travessia”.

“O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”.

“Apertou em mim aquela tristeza, da pior de todas, que é a sem razão de motivo”.

“Um dia ainda entra em desuso matar gente”.

“O senhor saiba: eu toda a minha vida pensei por mim, sou nascido diferente. Eu sou é eu mesmo. Diverjo de todo o mundo”.

“A gente morre é para provar que viveu”.

“Tem horas em que penso que a gente carecia, de repente, de acordar de alguma espécie de encanto”.

“E a gente, isso sei, às vezes é só feito menino. Se tem alma, e tem, ele é de Deus”.

“E o chiim dos grilos ajuntava o campo”.

“Ah, a mangaba boa só se colhe já caída no chão, de baixo…”.

”A colheita é comum, mas o capinar é sozinho”.

“Viver é um descuido prosseguido”.

“O senhor ache e não ache. Tudo é e não é …”

“Passarinho que debruça – o voo já está pronto”.

“Sou só um sertanejo, nessas altas ideias navego mal. Sou muito pobre coitado. Inveja minha pura é de uns conforme o senhor, com toda leitura e suma doutoração”.

“Eu quase que nada não sei. Mas desconfio de muita coisa”.

“Deus é paciência. O contrário é o diabo”.

“O mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando”.

“A gente quer passar um rio a nado, e passa; mas vai dar na outra banda é num ponto muito mais embaixo, bem diverso do em que primeiro se pensou. Viver nem não é muito perigoso?”.

“Cavalo que ama o dono, até respira do mesmo jeito”.

“Quem desconfia fica sábio”.

“Ser ruim, sempre, às vezes é custoso, carece de perversos exercícios de experiência”.

“O espírito da gente é cavalo que escolhe estrada”.

“Medo, não, mas perdi a vontade de ter coragem”.

“Eu careço de que o bom seja bom e o ruim ruim, que dum lado esteja o preto e do outro o branco, que o feio fique bem apartado do bonito e a alegria longe da tristeza! (…) Este mundo é muito misturado …”.

"A gente carece de fingir às vezes que raiva tem, mas raiva mesma nunca se deve de tolerar de ter. Porque, quando se curte raiva de alguém, é a mesma coisa que se autorizar que essa própria pessoa passe durante o tempo governando a ideia e o sentir da gente”.

“A morte é para os que morrem”.

“No centro do sertão, o que é doideira às vezes pode ser a razão mais certa e de mais juízo!”.

“Sertão é isto: o senhor empurra para trás, mas de repente ele volta a rodear o senhor dos lados. Sertão é quando menos se espera”.

“O bom da vida é para cavalo, que vê capim e come”.

“E sei que em cada virada de campo, e debaixo de sombra de cada árvore, está dia e noite um diabo, que não dá movimento, tomando conta.”

“Sertão: é dentro da gente”.

“Mestre não é quem sempre ensina, mas quem de repente aprende”.

“Só se pode viver perto de outro, e conhecer outra pessoa, sem perigo de ódio, se a gente tem amor. Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura”.

“Um sentir é do sentente, mas o outro é o do sentidor”.

“Para o prazer e para ser feliz, é que é preciso a gente saber tudo, formar alma, na consciência; para penar, não se carece”.

“Obedecer é mais fácil do que entender”.

“Onde é que está a verdadeira lâmpada de Deus, a lisa e real verdade?”.

“Tive medo não. Só que abaixaram meus excessos de coragem”.

“Rir, antes da hora, engasga”.

“Vivendo, se aprende; mas o que se aprende, mais, é só fazer outras maiores perguntas”.

Guimarães Rosa 

Viver é Perigoso

PORQUE HOJE É DOMINGO



Caro Amigo,

Caminhe
Caminhe
Com esperança
No seu coração
E você nunca caminhará sozinho
Você nunca caminhará sozinho

Viver é Perigoso

sábado, 18 de novembro de 2017

CANTINHO DA SALA


Vincent van Gogh -  Galleria Nazionale d'Arte Moderna, Roma, Itália. 

Viver é Perigoso