quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

NOSSA ESCOLA

Muito interessante os estudos sobre o impacto econômico da Unifei em Itajubá, feito sob a responsabilidade dos professores da nossa Escola, Moisés Vassalo e Rafael Miranda. 

Os importantes dados, destacados pelo jornalista Marco Antonio Gonçalves e publicado no jornal "O Sul de Minas desta semana, chamam atenção pela decisiva influência da Unifei na economia de Itajubá. 

Cleber Gonçalvees Junior
Segundo o estudo, a Unifei é responsável por quase 5.000 empregos na cidade e movimenta mais de R$ 186 milhões/ano na cidade.

Um extraordinário empreendimento a nossa Escola. 

Seria bom, entretanto, ficarmos atentos as movimentações do governo federal, através do MEC. Alguma ou muita coisa irá mudar. Notícias dão conta, que o governo estuda alterar a forma de manutenção financeira das instituições (universidades federais) para investir mais na educação básica, Faz sentido.

As Universidades serão incentivadas a buscar arrecadação própria, reduzindo o dispêndio de recursos da União direcionados para manutenção e investimentos. Falam até em cobrança de mensalidade para os alunos de maior renda, seguindo com a cobrança de aluguel por uso de seus espaços, prestação de serviços, contrato de pesquisas. 

Falam também em eliminar o teto existente para utilização dos valores arrecadados. Importante.

Preocupação, para aqueles que observam de longe e não tem acesso às informações, sobre as necessidades de dar partida na INOVAI. Indicativo de recursos parcos nos dois maiores parceiros, Unifei e PMI.

Haja criatividade.

Viver é Perigoso   

FALOU E DISSE


Na abertura do Foro de Davos, o Presidente Bolsonaro tinha 45 minutos para falar. Falou por 6 minutos. Apenas se apresentou e confirmou a direção a ser seguida pelo País. Suficiente.
Parte da imprensa, os mesmos de sempre, criticou o Presidente pela sua curta oração. Para satisfazê-los, melhor seria levar um desses Ministros do STF, que certamente, estaria falando até agora e como sempre, não dizendo nada.

Viver é Perigoso

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

CHEGA DE SAUDADE



Viver é Perigoso

MOÇA BONITA


Gerhard Richter - Betty, 1988 - The St. Louis Art Museum 

Viver é Perigoso

UPA - WHY NOT ?


Talvez seja uma das principais características dos mineiros. Detestar surpresas. Ou melhor, ser pego distraído e melhor ainda, de calças curtas.

Nada acontece assim do nada. O pessoal vai mexendo, ajeitando daqui e dali e as coisas acontecem.

A Bozano Investimentos está mudando de nome. A empresa vai adotar a marca "Crescera".

A Bozano, como é sabido, foi o resultado da união de três companhias: a BR Investimentos, a Mercatto e a Trapezus. Adotou o nome de Bozano, do empresário Júlio Bozano, também sócio da companhia (minoritário).

A empresa teve (tem) como sócio e diretor, até o final de 2018, o Sr. Paulo Guedes, hoje Ministro da Economia e homem forte do governo Bolsonaro (às vezes tratado por Posto Ipiranga).

Entre os investimentos da "Crescera" em private equity estão a rede de estacionamentos Estapar, a holding Hospital Care e a NRE Educacional.

A Hospital Care assumiu recentemente o controle de vários hospitais no País. Entre eles, o Vera Cruz de Campinas, São Lucas e Herp de Ribeirão Preto, Baía Sul, de Florianópolis.

A empresa, através da BR Health, controla a NRE, que administra um grupo de escolas de medicina, entre elas a Faculdade de Medicina de Itajubá e o curso Medcel (cursos preparatórios à distancia para residencias médicas)

Segundo o mercado, o plano do "Crescera" é juntar o Hospital Care e a BR Health, ou seja, hospitais com escolas de medicina.

Captaram ? 

Ah ! o nosso Hospital Escola já deixou de ser chamado de Escola. Agora é só Hospital de Itajubá. Tem contado com uma boa força, como não poderia deixar de ser, do poder público municipal. 

Why not ?

Viver é Perigoso

E AGORA FLÁVIO ?


A cada dia fica mais complicada a situação do Sr. Flávio. Um seu ex-amigo e colega do curso de primeiro grau, Sr. RM, procurou a nossa reportagem para denunciar, que no final dos anos 80, em Rezende - RJ, vendeu para o Sr Flávio, recebendo em dinheiro vivo,o vivo (sem comprovante de origem), uma dúzia de bolinhas de gude. O valor da transação, em moeda de hoje, atinge a soma de R$ 5,00.
O Sr. RM, face a gravidade da denúncia, indicou que a colega de ambos, na ocasião, hoje Sra ML, presenciou a transação e está disposta a depor em juízo, desde que intimada.

A essa escabrosa denúncia, junta-se também a descoberta, que na mesma época, mais precisamente em 1990, a hoje Sra GH, recebeu e aceitou do Sr. Flávio, um embrulho em papel pardo. Mais tarde, na presença de seus pais, ficou comprovado tratar-se de uma caixa de bombons Sonho de Valsa. Operação sem nenhum comprovante.

O elemento denunciado em ambos episódios, tinha na ocasião de 9 para dez anos de idade.

Aguarda-se uma manifestação do MP Federal sobre as investigações. As autoridades preocupam-se com a sequência de acontecimentos, uma vez que, trata-se do filho de um Capitão da Reserva do Exército Nacional.

Maiores detalhes no Jornal das 10, ou a qualquer momento em edição extraordinária.

Viver é Perigoso

A COISA ESTÁ FEIA !

Viver é Perigoso

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

WHERE´S WALLY ?


Prefeitos mineiros presentes  na Assembleia promovida pela Associação Mineira dos Municípios - AMM - Belo Horizonte 21/01 - Adiamento início das aulas.

Viver é Perigoso