sexta-feira, 22 de junho de 2018

CHANEL


Maison Chanel, conhecida pelo perfume Chanel nº 5 e por suas bolsas, rompeu um silêncio e divulgou pela primeira vez seus resultados financeiros.

A companhia de moda anunciou uma receita de US$ 9,6 bilhões em 2017. O lucro operacional foi de quase R$ 2,7 bilhões.

Criada em 1910 pela estilista e empresária Gabrielle “Coco” Chanel, a empresa foi adquirida pela família Wertheimer em 1924

A estilista revolucionou a moda com um estilo elegante e esportivo. Desde 1983 o estilista alemão Karls Lagerfeld está à frente da direção artística da casa de moda.
 
Eternos tornaram-se o “pretinho”- vestido reto, simples, num bom tecido de cor preta que, como ensinou Chanel, é a elegância em qualquer situação – e seu Chanel nº 5, até hoje o perfume mais vendido em todo o mundo. Que também disse a verdade:
“Há pessoas que têm dinheiro e pessoas que são ricas.”

Ainda adolescente conheci Chanel. Não a Coco, mas o perfume através da frase mágica da Marilyn Monroe, conhecida por todo o planeta. Em resposta a um jornalista que quis saber o que ela usava para dormir, disse: "apenas duas gotinhas de Chanel nº 5". Uma obra prima na publicidade.

Sou péssimo para guardar e ligar fragrância de perfume com nome, rótulos. Lembro-me de cheiros com momentos, com lugares. Admito, acanhadamente, que não conseguiria identificar o nome de qualquer perfume.

Gosto, como todos, de sentir o aroma de perfume nas mulheres. Mas aprecio aqueles que chegam bem depois das pessoa. Melhor ainda, aqueles que permanecem discretamente após sua retirada ou passagem.

Tinha oito ou nove anos quando fui numa inesquecível excursão de trem, com os colegas do Grupo Escolar à São Lourenço. Devo ter dormido na volta e quando me dei conta estava com a cabeça encostada no banco de madeira e me sentindo nas nuvens. A professora havia dobrado e colocado o seu Ban-Lon como um improvisado travesseiro. O perfume, que nunca soube o nome, nunca esqueci.

Anos e anos depois na loja do Mappin, em São Paulo, reencontrei com o perfume. Só estavam uma freira e eu no elevador.

Esqueci o que iria comprar e passei a seguir a simpática freirinha aguardando uma oportunidade para perguntar-lhe o nome. Não dela, mas do delicado perfume que usava. Saímos da loja e atravessamos o Viaduto do Chá e eu sem coragem de abordá-la. Chegamos na Praça do Patriarca e ela desapareceu a caminho do Metrô.

Foi a última vez que nos encontramos. Eu e o perfume, é claro.

Viver é Perigoso 

CHORAR


"Foi um dia agitado para o jogador mais caro do mundo, fonte de atritos constantes, que resmungou, gemeu e se jogava no chão constantemente, podendo ter sido expulso por uma combinação de desentendimentos e trapaça"

The Guardian - Inglaterra

Incomoda e muito essa choradeira que ataca os jogadores brasileiros de futebol. 

Mas não é sempre assim.

Outro dia, todos se emocionaram ao ver alguns jogadores do Panamá às lágrimas quando da execução do hino nacional do País. Bonito. Possivelmente estavam vendo a pátria na bandeira tremulando. As dificuldades do seu povo, as conquistas e a luta que enfrentaram para chegar até ali.

Os nossos tatuados e hábeis craques não conseguiram, até o momento, chorar na hora certa. Chorar tem hora e razão. Muita alegria ou muita tristeza. E longe das câmaras.

Viver é Perigoso 

 

MOÇA BONITA NA COPA


Na arquibancada. Torcedora de Portugal e namorada de Cristiano Ronaldo a modelo Georgina Rodríguez.

Viver é Perigoso

AGORA VAI !


O acordo de delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci foi homologado pelo desembargador João Pedro Gebran Neto do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) na tarde desta sexta-feira (22).

Viver é Perigoso

SOLIDARIEDADE

Viver é Perigoso

quinta-feira, 21 de junho de 2018

BOM DE OUVIR



Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Pablo Picasso - Jacqueline Roque - 1954
Jacqueline Roque nasceu em Paris em 1927. Há mais retratos de Jacqueline do que de qualquer outra mulher na vida de Picasso. foi retratada em mais de 125 obras de arte.

De todas as mulheres da vida de Picasso, a mais enigmática é Jacqueline Roque, esposa de uma autoridade colonial francesa que ele conheceu em 1952 e com quem se casou (após o divórcio dela e a morte de sua primeira esposa, Olga) em 1961. Quando se conheceram, ela tinha 27 anos e ele quase 70.

Eles estiveram juntos pelos últimos 20 anos da vida de Picasso e por 17 desses anos ela foi a única mulher que ele pintou. 

Pablo Picasso, como todos sabem, tomou o barco em 1973. Jacqueline Roque, por iniciativa própria, embarcou em 1986.

Viver é Perigoso

DEPUTADO CITA OPERAÇÃO TRUCULENTA

Assustador o discurso do Deputado Estadual tucano, João Leite, ontem na Assembleia Legislativa de Minas Gerais e publicado no youtube.
Acusou o governo petista de aparelhar a Polícia Civil do Estado.
Lembrou em seu discurso que a Polícia Civil teria invadido a Prefeitura de Itajubá e a própria casa do Prefeito, armados de metralhadoras e portando balaclavas, assustando todo mundo.

Blog: Se as ações policiais foram legais ou ilegais não sei. Só sei que não é por aí.

Viver é Perigoso