segunda-feira, 17 de maio de 2021

ATUALIZANDO


Esta overview foi produzida pelo Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital Sírio-Libanês.

RESUMO

Objetivos: Mapear as revisões sistemáticas de ensaios clínicos randomizados e quasi-randomizados sobre os efeitos da hidroxicloroquina/cloroquina e identificar aquelas com maior qualidade metodológica e maior confiabilidade em seus resultados.

Métodos: Revisão de revisões sistemáticas (overview) que consideraram ensaios clínicos randomizados ou quasi-randomizados. A busca foi realizada em 11 de maio de 2021 nas bases MEDLINE (via PubMed), Embase (via Elsevier) e Cochrane Library (via Wiley). O planejamento e a condução da revisão seguiram o Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions considerando as seções relevantes para uma revisão de revisões sistemáticas. O relato desta revisão foi elaborado de acordo com o Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA 2020) Statement, com adaptações pertinentes para uma overview. Para os resultados e conclusões foram priorizadas as revisões sistemáticas de maior qualidade (AMSTAR-2), com busca mais recente, e com comparações diretas.

Resultados: Após a análise de 5.785 referências, foram incluídas 14 revisões sistemáticas avaliando o uso de hidroxicloroquina/cloroquina para tratamento e/ou prevenção de Covid-19, considerando o cenário ambulatorial ou hospitalar. Três destas revisões preencheram os critérios de priorização e contribuíram com os resultados e as conclusões desta overview.

O uso de hidroxicloroquina para o TRATAMENTO de Covid-19 (i) resultou em pouca ou nenhuma diferença na mortalidade (evidência de alta certeza), (ii) provavelmente aumenta o risco de qualquer evento adversos e não reduz a necessidade de ventilação mecânica (evidência de moderada certeza), (iii) pode ter pouco ou nenhum efeito sobre o risco de eventos adversos graves (evidência de baixa certeza) e (iii) seu efeito sobre o tempo até a melhora clínica ainda é incerto (evidência certeza muito baixa).

O uso de hidroxicloroquina para a PREVENÇÃO de Covid-19 (i) provavelmente resulta em pequeno aumento ou pequena redução do risco de ter Covid-19 confirmada laboratorialmente (evidência de moderada certeza), (ii) resulta em pouca ou nenhuma diferença na mortalidade e na taxa de hospitalização (evidência de alta certeza) e (iii) provavelmente aumenta o risco de qualquer evento adverso e de eventos adversos que levam à descontinuação do tratamento (evidência de moderada certeza).

Conclusões: Com base nas três revisões sistemáticas mais recentes, com melhor qualidade metodológica e considerando comparações diretas, não foram identificados benefícios em desfechos clinicamente relevantes de eficácia e ainda há possibilidade de maior risco de eventos adversos com o uso hidroxicloroquina/cloroquina quando comparados ao placebo, nenhuma intervenção ou terapia de suporte, tanto para prevenção quanto para o tratamento de Covid-19.

Acesse a versão na íntegra: [Overview_HCQ_Covid19_150521_final]

Citar como: Martimbianco ALC, Bagattini AM, Riera R, Pacheco RL. Eficácia e segurança da hidroxicloroquina/cloroquina para prevenção e tratamento de covid-19: revisão de revisões sistemáticas (overview). Disponível em: [Overview_HCQ_Covid19_150521_final]. Acessado em [acrescentar dia, mês e ano].

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

Provavelmente alguém do governo, MS ou ABIN deve levar esse estudo Oxford Brasil ao Exmo. SSQ (Sr. Sem Qualificação) que está temporariamente no Planalto. O problema é, será que ele vai entender?
E também: "Um grupo técnico formado a convite do Ministério da Saúde elaborou um documento preliminar com orientações contra o uso da cloroquina, azitromicina, ivermectina e outros medicamentos sem eficácia no tratamento da Covid-19 em pacientes hospitalizados por causa da doença.O texto será agora analisado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec)". Se aprovarem e o SSQ permanecer como um burro empacado de sempre,cabeças terão que rolar novamente.
E aí autoridades locais como anda a invermectina por aqui? Foram usadas as doações?