segunda-feira, 26 de abril de 2021

SEI NÃO ...


Entendo que não dava mais para segurar as "restrições" da "Onda Roxa". Mas, observando o movimento na cidade nas poucas saídas de casa no final (de carro) de semana, vendo as fotografias da movimentação em outras cidades do País e tomando conhecimento do atraso admitido na vacinação, sou levado a pensar que teremos muitas dificuldades no mês de maio.

Sinceramente não acredito, mas torna-se assustadora a projeção da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, que aponta que o Brasil pode alcançar a trágica marca de 611 mil mortes por Covid-19 até agosto. Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o médico Ali Mokdad, responsável pelo modelo estatístico adotado na Casa Branca, afirmou que o país pode registrar mais de 200 mil mortes durante o inverno. Ainda adianta: 63 mil das cerca de 220 mil mortes estimadas para o período, podem ser evitadas com a adoção de medidas de isolamento social e a proibição do funcionamento de algumas atividades, além do incentivo ao uso de máscara e do distanciamento social. Nesse cenário, seriam 548 mil mortes até agosto.

"O inverno deve piorar a situação", avaliou o médico.

Oremos.

Viver é Perigoso

3 comentários:

Anônimo disse...

Todo mundo sabe, daqui a pouco lota os hospitais e vão dizer.....ah...

Anônimo disse...

Caríssimo parece que vamos confirmar a outra previsão muito triste de mortes para abril falada aqui.
Acompanhando o cenário nacional vamos ter um jejum de pelo menos 15 dias sem vacinas na terrinha. Na última foram 2.150 em 19/04. Prefeituras que não guardaram para a 2ª dose vão ficar sem.Mais uma derrapada da dupla Bozo/Passulerdo quando liberaram a aplicação de tudo que tínhamos na 1ª dose.

Anônimo disse...

Caríssimo corrigindo, recebemos 1.525 hoje mas o cenário se transporta para semana que vem.