terça-feira, 8 de dezembro de 2020

CANTINHO DA SALA


O leilão marcado para o próximo 17/12 na Bolsa de Arte em São Paulo poderá marcar uma época. Isso porque o quadro "A caipirinha", de Tarsila do Amaral, estará disponível para arremate, com um lance mínimo histórico por conta do valor: R$ 47 milhões, um recorde.

Fora do País, no ano passado, o MoMA - Museu de Arte Moderna de Nova York, adquiriu para seu acervo, a tela "A Lua" (1928), da Tarsila, por US$ 20 milhões (mais de R$ 100 milhões).

"A caipirinha" foi finalizada durante a segunda viagem de Tarsila do Amaral a Paris, em 1923, um ano após sua participação na Semana de Arte Moderna, em São Paulo.

O quadro, estará disponível para visitação pública com entrada franca entre esta terça-feira (8), e o dia do leilão, na sede da Bolsa de Arte — Rua Rio Preto 63, Cerqueira César, das 11h às 19h. Por conta da pandemia, serão permitidos dez visitantes por vez no salão.

O empresário Salim Taufic Schahin (do banco Schahin envolvido no escândalo da Lava-Jato),  adquiriu o quadro na década de 1990. Em 2013, ele teria vendido a obra ao filho, Carlos Schahin, por 240 mil reais – o que foi questionado pelos credores. A obra estava confiscada pela Justiça, que decretou, em junho, a venda com pagamento à vista.

Sobre Tarsila, sempre é duro lembrar, que em 1995 o empresário argentino comprou o "Abaporu" por US$ 1,3 milhão, que hoje integra o acervo do Malba - Museu de Arte Latina de Buenos Aires.

Viver é Perigoso

3 comentários:

wartão disse...

Zelador qual será o seu lance para arrematar esse quadro?

Edson Riera disse...

Wartão

Como devo estar em São Paulo na próxima semana, me inscrevi pela internet para conseguir uma vaga na visita. Na ficha, coloquei: Comprador em potencial.

Abraço

Zelador

wartão disse...

Boa!!!