domingo, 13 de dezembro de 2020

HAJA CHUVA


De Itajubá ainda não recebi notícias, o que me preocupa, pois tenho muitos amigos lá. Mas aqui na Boa Vista, é claro, a madrugada foi molhada como há tempos não víamos.

Choveu à cântaros ou como disse certa vez um comentarista esportivo, choveu a píncaros (trocando as bolas).

Até que é gostoso ouvir madrugada a dentro a água escorregar pelas calhas. Um amigo e colega de escola, que sempre morou em casa térrea, ao mudar para São Paulo e ter que morar num apartamento, em noites de chuva, principalmente nos finais de semana, colocava uma latinha de vazia de Massa de Tomate marca Peixe, do lado de fora da janela, só para escutar o barulhinho.

Nesta madrugada veio ao meu encontro uma lembrança não muito agradável. Já incomodado com um ruído pausado que vinha do corredor, levantei-me e dei de cara com a sumida.

Poucos devem saber do que se trata. Goteira. Pingos miúdos caindo pelo bocal da lâmpada. Possivelmente originado de uma telha quebrada.

A emenda saiu pior do que o soneto ao posicionar um balde em baixo. Ruído irritante, só suspenso com a colocação de um pano de chão no fundo da vasilha.

É a vida...

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

Caríssimo gato escaldado tem medo de água fria. Com a chuva mais constante volta a preocupação: enchente. As redes estão desde ontem cheias de fotos do rio um pouco alto. Procurei informação no site da Unifei
https://meteorologia.unifei.edu.br/pag/hidrologia/historico.php
A primeira mensagem é "em manutenção" procurando um pouco mais tem uns dados de 2016/17!!!! Acredita?