sábado, 15 de fevereiro de 2020

TO BE OR NOT TO BE

That is the question.

Sem querer colocar mais lenha (mas, colocando) no importantíssimo debate municipal sobre a mudança de feriado religioso.

Até o dia 15 de dezembro de 2017, vinham todos os munícipes navegando tranquilos no feriado religioso respeitado no dia 19 de março - Dia de São José e aniversário da Primeira Missa realizada no ajuntamento (longe ainda de ser município).

Nessa data foi aprovada pela Câmara Municipal, a Lei 3.225, alterando o feriado do dia 19 de março para o dia 15 de setembro, data da Padroeira da Cidade, N.S. da Soledade.

Votaram favoráveis a alteração os vereadores*:

Santi
Vladimir
Wilson
Fabrício
Jorjão
Marcelo Krauss
Zé Pequeno
Zambrana
Zé Maria Bão

* A Presidência da Câmara era exercida pelo Vereador Joel da Guadalupe (não vota).

Consequentemente, não votaram favoravelmente a mudança:

Cleber
Melo
Kener
Mônica
Renato
Silvestre
Molina

No Projeto de Lei, hoje em discussão, nº 4399, assinam os Vereadores Melo, Renato, Molina e Silvestre e, mudando de ideia, o Vereador Zé Maria Bão (votou a favor do 15/setembro anteriormente).

Hoje, por razões aparentemente festeiras, o Prefeito quer o retorno do feriado para o dia 19. De forma coerente, seu aliado e representante Vereador Melo, tenta reverter a Lei 3.225 aprovada em dezembro/2017, na qual ele não votou favoravelmente.

Entende-se em parte a posição dos vereadores evangélicos, Silvestre, Renato e Molina, em não participarem da oficialização do "Dia da Padroeira".

Não se entende a mudança, em tão pouco tempo, de posicionamento do vereador Zé Maria Bão.

Também não se entenderia a mudança dos votos dos outros oito vereadores que votaram pelo Dia da Padroeira há pouco tempo atrás.

Concluindo: Mesmo com a defecção (êpa) do Vereador Zé Maria Bão, o feriado de 15 de setembro (N.S.Soledade ) seria o vencedor numa votação do Plenário, uma vez que o evangélico Silvestre, como presidente da Câmara não vota e o Joel da Guadalupe, em princípio, pelas suas ligações, votaria favoravelmente para que a Lei 3.225 permaneça em vigor.

Está em jogo a capacidade de convencimento do Prefeito (que é enorme nessa assembleia) ou as orações dos fieis próximos de N.S. Soledade.

Estamos às vésperas da Batalha de Itararé (a que nunca aconteceu). 

Viver é Perigoso 

Um comentário:

Anônimo disse...

Como esta gente gosta de discutir bobagens, é pombinhas, charretes, cavalo, cocô na calcada, ah vão trabalhar, salario deste pra trabakgar 4 dias (3 hs) por mes nao existe, disfarça ai pessoal, ta chato, ta feio, é revoltante