quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

TURBULÊNCIA


O Governo Fernando Pimentel (PT) acreditou na viabilidade de ligações de Belo Horizonte com cidades do interior de Minas não atendidas pelas grandes companhias. Daí veio a empresa TwoFlex. O voo inaugural foi em agosto de 2016. 

Eram atendidas as cidades de Araçuaí, Caratinga, Diamantina, Governador Valadares, Ipatinga, Manhuaçu, Patos de Minas e Teófilo.

O Governo do PT utilizou a Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig) para ser uma espécie de sócio. Mas, na verdade, a estatal mineira servia tão somente para repassar subsídios à empresa privada, que operava de forma deficitária. A parceria criada pelo Governo do PT foi incentivada pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg).

O programa "Voe Minas", apelidado de "aéreo PT", foi encerrado em julho do ano passado pelo Governo Zema.

Ontem, foi anunciado pela empresa Azul a compra da TwoFlex, por R$ 123 milhões. Segundo comentários, o interesse da Azul diz respeito aos 14 slots (autorização de pouso e decolagem) que a TwoFlex tem na pista auxiliar do Aeroporto de Congonhas. Está sendo considerado barato o valor de R$ 8,8 milhões pago por cada slot.

Blog: Quer dizer...melhor esquecer esse negócio de voo comercial em cidades de pequeno porte.

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

Itajubá "malemá" terá uma pista que servirá para vôos de jatos particulares. Não há viabilidade alguma para vôos regulares partindo da terrinha.