domingo, 26 de janeiro de 2020

O TEMPO VOA


Aconteceu ontem (25/01) em Málaga, a entrega do Goya, o prêmio mais importante do cinema  espanhol, outorgado anualmente pela Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha com a finalidade de condecorar os melhores profissionais em cada uma das diversas especialidades do setor. 

Li no huffingtonpost que a atriz a cantora Pepa Flores, mais precisamente, Josefa Flores Gonzáles, recebeu um Goya de Honra por sua interpretações inesquecíveis. Pepa, ou melhor, Josefa, nasceu em Málaga em 1948.

Confessando minha ignorância no assunto, descobri que Pepa vem a ser a Marisol, conhecida por quase todos e atriz/cantora no filme "Um Raio de Luz", lançado no final de 1960. Assisti no Cine Paratodos, na Boa Vista, é claro.

De uma família humilde, Marisol participava num grupo de coral e dança de Málaga, quando foi descoberta pelo produtor Manuel Goyanes. 

Ganhou pelo seu desempenho no filme "Um raio de Luz" o prêmio de melhor atriz infantil no Festival de Veneza. 

No comunicado, a Academia Espanhola sublinha que Marisol foi um "fenômeno de massas dos anos 60 e 70", época em que "cantava, dançava e sorria nas populares comédias musicais que protagonizou". Aos 15 anos já era uma estrela internacional, fazia filmes e viajava para dar espetáculos, sempre lotados, onde cantava os êxitos do cinema. A menina prodígio chegou a ser convidada do programa de televisão americano Ed Sullivan Show. Fizeram uma boneca com a sua cara e o seu nome.

Em 1976 posou nua para a revista Interviú. Enorme escândalo.

Em 1982, em Cuba, casou-se pela segunda vez. Na oportunidade, com o bailarino Antonio Gades, com quem teve três filhos. Os padrinhos deste casamento, uma cerimônia íntima e discreta, foram Fidel Castro e a bailarina cubana Alícia Alonso. 

Contracenou com Antonio Gades em "Bodas de Sangue" (1981) e Carmen (1983), ambos realizados por Carlos Saura, revelando as suas capacidades também como atriz dramática. Nestes últimos dois filmes já usou o nome de Pepa Flores.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: