segunda-feira, 20 de maio de 2019

NÃO DÁ MAIS PRÁ AGUENTAR !


Declaração feita hoje no Rio de Janeiro pelo político, há séculos e pai de um punhado de políticos citados. 

"O Brasil é um país maravilhoso que tem tudo para dar certo, mas o grande problema é a nossa classe política. 
'É nós' (sic), Witzel, 'é nós' (sic) Crivella, sou eu, Jair Bolsonaro, é o Parlamento em grande parte, é a Câmara Municipal, a Assembleia Legislativa. Nós temos que mudar isso. "

Declaração óbvia e ululante que vem sendo repetida há tempos pelos brasileiros. Como mudar ? Imposição de uma Reforma Política imediata, antes de avançar com qualquer outra. O ideal seria que acontecesse sem choques e atropelos. Seria utopia.

Creio que muitos dos brasileiros, por mais que tenhamos vivido uma existência próximos do altar sagrado da democracia, face à ausência de alternativa, estaríamos dispostos a nos sacrificar e aceitar, que por um breve e determinado período, acontecesse a instalação de um regime especial, para que a necessária reforma seja implantada. Naturalmente, por ser de interesse pessoal dos senhores políticos, jamais aconteceria.  

As outras reformas viriam em consequência.

De imediato:

Proibição de reeleição em todos os níveis.
Mandato de quatro anos para senadores.
Redução drástica do número de senadores, deputados e vereadores.
Fim do financiamento público de campanha.
Instituição do bi-partidarismo
Redução ao mínimo do números de assessores, gastos de representação, altos salários e privilégios. 
Fim do foro privilegiado
Convocação de eleições coincidentes em todo o território nacional.

Em tempo: Jamais imaginaria que um dia iria escrever, assinar e sugerir qualquer medida de exceção. Tenho que pensar no País dos meus netos. É a vida.

Viver é Perigoso

4 comentários:

Anônimo disse...

Bi-partidarismo?
Regime de exceção?
Isso deu certo em algum lugar do mundo?

Anônimo disse...

Concordo em parte.Sem semi regime de exceção. A reforma política é a mãe das reformas. Sem pressão, tipo 2013, ela não acontecerá. O nosso sistema político tem um erro clássico: optamos por uma determinada candidatura presidencial. Votamos maciçamente nela acreditando que o presidente é o salvador da pátria. Não é!Exemplo:Jair Bolsonaro teve mais de 45 milhões de votos. Apesar de expressiva, seu partido, o PSL teve só 11 milhões de votos para deputados federais. Damos o voto a determinado candidato majoritário mas não damos a sustentação política necessária nos votos proporcionais. Para não ir muito longe assim também aconteceu com FHC e com o PT sob Lula e Dilma. Daí vem o centrão e impõe o que quer. Abs. observador da cena

Edson Riera disse...

Observador de Cena

Sempre registrando as raríssimas exceções. Política no Brasil virou formação de quadrilhas. A existência de políticos profissionais é uma vergonha.
Há tempos estamos votando no menos ruim. Votando contra alguma coisa.
Lamentando profundamente porque fere o pensamento de toda uma vida: Pelas vias democráticas não acontecerá mudança alguma. Começo a pensar que o altíssimo preço a ser pago compensará.
Tirando uns petistas que se fundiram com lulista e vagam como zumbis, ninguém sabe mais o que vem a ser um partido político, além de um ajuntamento de vivaldinos que age em interesse próprio.

Não é fácil ser levado ao quase desespero do endurecimento da situação. Mas...

Abraço

Zelador

Anônimo disse...

Sem "mas".
Democracia é um processo longo de amadurecimento das pessoas e instituições.
A Inglaterra não nasceu Inglaterra.

Escapamos de nos tornar Venezuela de Chaves pra virar o Chile de Pinochet?

Zelador, repense seu desespero, pq Bolsonaro já esta armando o golpe.
Nao podemos incentiva-lo.