quinta-feira, 11 de outubro de 2018

ACONTECEU EM 2014


A seguinte postagem foi publicada no dia 11 de outubro de 2014, no "Viver é Perigoso, com dados extraídos do jornal "Hoje em Dia". 
Os números estão muito próximos dos apresentados pelas pesquisas ontem e hoje, para as eleições de 2018.
Abram o olho moçada !

"A primeira pesquisa ISTOÉ\Sensus no 2º turno da disputa presidencial mostra o tucano Aécio Neves com 58,8% dos votos válidos e a petista Dilma Rousseff com 41,2%, uma diferença de 17,6 pontos percentuais. Segundo o levantamento, o índice de eleitores que afirmam não votar em Dilma de forma alguma é de 46,3%, enquanto a rejeição do senador mineiro é de de 29,2%.
Nos votos espontâneos, quando nenhum nome é apresentado ao eleitor, Aécio soma 52,1%, Dilma fica 35,4% e os indecisos são 12,6%.
No panorama o senador mineiro vence em todas as regiões do País, menos no Nordeste. Além da vantagem regional, Aécio, de acordo com o levantamento, supera Dilma em todas as categorias socioeconômicas.
Encomendada pela revista IstoÉ, a pesquisa Sensus entrevistou 2000 eleitores, em 24 estados e 136 cidades.
Realização – Sensus
Registro na Justiça Eleitoral – BR-01076/2014
Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 Estados e 136 municípios do País
Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural
Campo – de 07 a 10 de Outubro de 2014
Margem de erro - +/- 2,2%
Confiança – 95% "

Hoje em Dia

Viver é Perigoso 

4 comentários:

Anônimo disse...

2014, completamente diferente de hoje. Eu acho. Senão vejamos. A equipe de marketing do pt/dilma desconstruiu a Marina no 1º turno. A morte do Eduardo tinha feito a Marina crescer. Usaram a mesma desconstrução para o Aécio no 2º turno. este representava a velha política. A tática deu certo. Ganharam.
Bolsonaro não é Aécio.As redes sociais nunca tiveram tamanha força e em 2014 a lava Jato nem existia e Lula não estava preso junto com boa parte da cúpula do PT. Por isso acho que não tem volta.Bolsonaro só tende a crescer. observador da cena

Edson Riera disse...

Observador de Cena -

Sou levado a concordar inteiramente com você.

Zelador

Anônimo disse...

Mais, o impeachment não tinha acontecido nem as grandes manifestações de rua. Desemprego e desilusão menores. PT vitorioso em MG. Agora fragorosamente derrotado. Haddad prefeito em exercício. Agora fora do cargo e muito mal avaliado em SP. E como não poderia deixar de ser respondendo algumas investigações.

Edson Riera disse...

Investigações -

Talvez a eleição mude se algum absurdo inexplicável acontecer, por exemplo, o Aécio, Temer, Dilma, e outros declarem apoio irrestrito ao Bolsonaro.

Zelador