quarta-feira, 8 de novembro de 2017

SOB A LUZ DE VELAS


“Não posso debruçar-me sobre mim mesma, enquanto ao meu lado há fome, há guerras, há sonhos desfeitos, há esperanças imensas. É preciso que todos saibam da minha certeza no amanhã. Vivo na expectativa do milagre, e por isso terei paciência. Perdoe-me pelas vezes que eu ainda chorar...”

Eliana Chaves

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: