sexta-feira, 20 de outubro de 2017

O INJUSTIÇADO


É uma foto que todos já devem ter visto milhares de vezes, porque tornou-se um símbolo.

Foi tirada em 16 de outubro de 1968, nos Jogos Olímpicos na Cidade do México, quando da premiação dos vencedores dos 200m. 

Nela aparecem o vencedor, o americano Tommie Smith, o terceiro colocado, o também americano John Carlos e o segundo colocado, o branco australiano Peter Norman.

Os americanos levantaram os seus punhos cerrados, sinal de protesto dos "black Power", contra a segregação racial. Na foto, o atleta australiano parece estar alheio ao que está se passando.

Porém, não.

Agora, o escritor negro Khaya Dlanga compartilhou na internet a verdadeira história do velocista Peter Norman, esclarecendo que poucos conhecem a história de valentia e tragédia do corredor australiano.

Na realidade, Norman não estava alheio ao protesto. Não levantou o punho, porém usou no peito uma insígnia para a justiça e igualdade. OPHR - Projeto Olímpico para os Direitos Humanos.

Seu gesto de solidariedade lhe custou muito desgosto. Direto, não pode participar dos jogos olímpicos seguintes, em Munique, em 1972. Deixou o atletismo. 

A ideia para que Norman usasse o escudo foi do atleta americano John Carlos, que confirmou e sabia que poderia ser um problema para ele.

E isso foi o que se sucedeu. Também, como castigo, não lhe permitiram participar da cerimônia dos jogos olímpicos de 2000, realizados em Sidney - Austrália.

Peter Norman tomou o barco em 2006 e o seu ataúde foi carregado pelos companheiros de pódio no México, os americanos, Tommie Smith e John Carlos.

Seia anos depois, em 2012, a Austrália pediu perdão pelo tratamento que lhe foi dado, declarando, que o País não tinha sido correto com ele e não foi reconhecido alguém que tanto fez pela igualdade racial. 

A história do esquecido da foto.

HuffingtonPost

Viver é Perigoso

2 comentários:

marcos antonio de carvalho disse...

Existe um bom documentario sobre essa corajosa, solidaria e, principalmente, emocionante historia. Vi faz um tempo acho que no 30 x 30 da ESPN.

A raça que parece querer bater recordes diarios de bestialidades e produzir feras sanguinarias capazes de tornar os piores pesadelos em manchetes banalizadas, tambem produz seus "pequenos grandes" herois. Por essa via, estamos (estaremos) salvos...

Edson Riera disse...

Marcos,

Eu passei séculos me lembrando dessa foto e achando que o australiano nem sabia o que estava acontecendo. São fatos que a gente carrega distorcidos uma vida. Ainda bem que, de uma forma ou de outra, temos a nossa atenção chamada.

Abraço

Zé lador