segunda-feira, 18 de setembro de 2017

PER CATALUNYA ! - PELA CATALUNHA !

Previsto para acontecer no próximo 1º de Outubro, o referendo quando os catalães decidirão sim ou não a questão:

"Você quer que a Catalunha seja um País independente sob a a forma de uma República ?

Sr. João Marinez Ripoll e Dona Francisca Riera, vindos de Barcelona, na Catalunha, chegaram ao Brasil em 1894, com os filhos Jayme, José, Elvira (nasceu durante a travessia do Atlântico) e Josepha. No Brasil, nasceram Loreto e Francisca. Mariano havia tomado o barco, com muita antecedência, ainda menino, em Barcelona.

A Catalunha já existiu como Estado Independente durante a idade média. O independentismo catalão assenta-se no princípio de que a Catalunha é uma nação, aludindo à sua história, cultura, língua própria e direito civil, e afirma que esta não alcançará a sua plenitude cultural, social e econômica enquanto fizer parte da Espanha.

A Constituição espanhola já reconhece o povo catalão como uma nacionalidade histórica, o que lhes garante um grau de autonomia frente ao governo central de Madrid

O governo espanhol é contra a realização do referendo alegando que se trata de um processo inconstitucional. A carta magna do país garante a unidade territorial, e antes que um processo separatista avance, a Constituição precisaria ser reformada para permiti-lo. 

O Ato foi declarado ilegal pelo Tribunal Constitucional Espanhol e o Primeiro Ministro  Mariano Rajoy, reitera que não haverá referendo e ameaça com prisões.  Outra estratégia do governo para "afogar" o referendo, foi congelar os 1.400 milhões de euros/mensais, normalmente repassados para a Catalunha.

Embora pesquisas indiquem que a maior parte dos catalães é contra uma separação (48,5% contra 44,3% a favor), a vontade de decidir isso localmente por meio do voto é generalizada.

Lluís Companys, foi um político e advogado catalão, de ideologia catalanista e republicano, líder de Esquerda Republicana da Catalunha e presidente da Generalitat da Catalunha desde 1934, durante a Guerra Civil Espanhola. 
Exilado após a Guerra Civil, foi capturado por um agente da polícia franquista que colaborava com a Gestapo. Foi extraditado à Espanha, torturado, submetido a uma farsa de Conselho de Guerra e fuzilado.
“Per Catalunya!”, bradou um momento antes de perder a vida, em 1940, nas mãos do pelotão de fuzilamento.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: