sexta-feira, 1 de setembro de 2017

ACABOU-SE O QUE ERA DOCE ?


O governador petista Fernando Pimentel, desde os tempos do movimento armado, quando da ditadura, foi apadrinhado da Dilma Roussef. São ou eram amigos. Pimentel foi um dos ministros mais chegados ao poder no governo Dilma.

O jornal "O Estado de Minas" traz em manchete a notícia sobre o ataque do governo mineiro à política da ex-presidente Dilma Rousseff para o setor de energia na tentativa de barrar no Supremo Tribunal Federal o leilão das usinas da Cemig pelo governo Michel Temer. 

Em recurso apresentado ao Supremo, a Advocacia-Geral do Estado (AGE) de Minas acusa o governo Dilma:

De ter sido eleitoreiro ao mudar as regras do sistema elétrico brasileiro por meio da Medida Provisória (MP) 579. "Puro engodo".
Com essa MP, Dilma buscou reduzir o custo de energia no Brasil, mas acabou provocando uma desorganização do setor com custos para os consumidores e o Tesouro Nacional.
Utilizou-se a máscara de reorganizar o sistema elétrico brasileiro, mas seu intuito, na realidade, era simplesmente eleitoreiro. Diminuiu o custo da energia elétrica, no primeiro momento (pré-eleitoral), e posteriormente se mostrou impróprio e ineficaz, tendo a energia aumentado o seu valor bem superior ao que havia reduzido. "Onde o interesse público relevante se fez presente?", 
Questiona a AGE para depois acrescentar que, ao contrário, o sistema elétrico "restou piorado".

Blog: Nada como um dia após o outro. 

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: