quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

ESTÁ DIFÍCIL


Quase metade (48%) dos médicos recém-formados em escolas médicas no Estado de São Paulo foi reprovada no exame do Cremesp (Conselho Regional de Medicina paulista) em 2015. Os resultados foram divulgados hoje, quarta-feira.
Participaram do exame 2.726 egressos de medicina, dos quais 1.312 não obtiveram a nota mínima – acertar 60% – ou 72 – das 120 questões da prova.
A prova não é obrigatória para exercer a profissão, embora instituições tradicionais, como USP, Unicamp, Unifesp e Santa Casa, passarão a exigi-la a partir deste ano para entrar em programas de residência médica.

Blog: Caramba ! Os cubanos seriam aprovados ?

Viver é Perigoso

4 comentários:

M. Feitor disse...

Uma coisa é certa. Deixando preconceitos e ideologias políticas de lado, a medicina cubana é uma das melhores em todo o mundo. Isso é fato. Aqui no Brasil, a xenofobia e o maniqueísmo entre a esquerda e a direita,provoca distorções, em que nada contribui.

Edson Riera disse...

M.Feitor,

Sempre li sobre a qualidade da medicina cubana. Acredito. Insisto em não concordar com a exploração do governo cubano sobre os serviços prestados. Os médicos deveriam ser contratados diretamente e se entendessem com o seu país sobre o pagamento de algum imposto ou recompensa pela instrução recebida.
Do jeito que funciona nos dá uma ideia de escravidão com pagamentos feitos para os feitores.

Zelador

Anônimo disse...

Zelador!! E os impostos que pagamos aqui no Brasil, não nos dá também, uma ideia de escravidão? Ou os médicos brasileiros não pagam impostos? E também são descontados na fonte!!

Anônimo disse...

Medicina cubana é uma das melhores... Isso eu não sei.
Primeiro, precisa verificar se os que vieram para cá são médicos mesmo.
Ao que consta, tem gente que mal sabe preencher uma receita.
É só dar uma olhada nos que estão em Itajubá, Piranguçu, e por aí afora.