sexta-feira, 2 de abril de 2021

OPERAÇÃO CONDOR


Átila Rohrsetzer pode ser o primeiro brasileiro condenado por crime da ditadura na operação Condor. O julgamento entra para a história como o primeiro a levar para o banco dos réus e talvez o primeiro a condenar um agente da ditadura brasileira por crimes praticados pelo regime militar.

Operação Condor, lembrando, foi um pacto iniciado no final dos anos 1960 entre as ditaduras de Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, Bolívia e Paraguai para troca e assassinato de prisioneiros políticos e intercâmbio de informações, apoio logístico, intelectual e material para a instalação de centros de tortura que deixou um rastro de milhares de vítimas no continente sul-americano.  

Rohrsetzer, hoje com 89 anos, vive uma aposentadoria tranquila no litoral de Santa Catarina, no sul do país. Ele é acusado na Itália pela participação no sequestro, tortura, assassinato e ocultação do cadáver do ítalo-argentino Lorenzo Viñas Gigli em 1980  e pode ser condenado à prisão perpétua. Na época era diretor da Divisão Central de Informações do Rio Grande do Sul (DCI).

Viñas Gigli foi estudante de Ciências Sociais em Buenos Aires onde ingressou no movimento estudantil em 1969. Na época, com 25 anos, Gigli, foi preso no ônibus vindo de Santa Fé na noite de 26 de junho de 1980, na fronteira entre Paso de Los Libres e Uruguaiana, quando tentava viabilizar uma fuga para a Itália com a família a partir do Brasil. Era casado com Claudia Olga Ramona Allegrini, com quem tinha uma filha recém-nascida.

Ao ser citado pelo governo italiano por meio de carta rogatória enviada ao Superior Tribunal de Justiça em 2011, Rohrsetzer afirmou que não se submete a jurisdição italiana por entender que as acusações são absurdas. 

É a vida...

Viver é Perigoso


CARTA QUE NÃO RECEBI



Itajubá, 2 de abril de 2021

Ref. Maravilha

Amigos,

Foram 25 dias de internação , 17 dias de uti e 7 dias de entubação . Deus é muito maravilhoso e operou um milagre intenso .
 
Minha mãe Íris foi curada da covid 19 . 

Aos meus amigos da Santa Casa eu tenho muito orgulho de pertencer a essa família . 

Muito obrigada por tudo. Vocês continuam em minhas orações .
 
E  todos que intercederam por nós. Vocês foram o nosso sustento em todos esses dias .

Obrigada .
 
Para Deus toda honra e Glória .

Deborah Berti Mendonça Honório

Viver é Perigoso

JUÍZO MOÇADA



Tudo bem que se trata de uma boa notícia. A Prefeitura de Itajubá anunciou ontem, dia 1 º de abril, a chegada de uma fábrica de drones na cidade.

Segundo informado, inclusive pelos jornais digitais da região, a XMobots (nome da empresa) irá investir pouco mais de R$ 4,7 milhões na construção de sua nova planta industrial na cidade. Cerca de 230 empregos diretos e mil indiretos devem ser gerados no município.

Três observações sobre o anúncio para alertar a moçada, atualmente, no comando da Administração.

Primeira:
Jamais divulguem algum investimento, seja o qual for, no dia 1º de abril. Não pega bem.

Segunda:
O ex-prefeito Rodrigo Riera já tinha anunciado esse investimento no dia 17/11/2020, inclusive, observando que a fábrica iria ocupar uma área de 11.000m doada pelo município, localizada na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá. A construção da fábrica teria um investimento de R$ 4,75 milhões, e o processo seletivo para a contratação dos primeiros colaboradores da fábrica já teria sido iniciado pela XMobots. Foi prevista a geração de 230 empregos, até 2025, com o início das operações previsto para julho de 2021.

Terceira:
Um investimento de R$ 4,75 milhões, considerado pequeno, promover 230 empregos diretos e 1.000 indiretos poderá se tornar um "case" na história do desenvolvimento.

O momento está carente de notícias boas, mas não se entusiasmem com os números e replicação de anúncios. Pés no chão.

Viver é Perigoso