terça-feira, 23 de março de 2021

E LA NAVE VA ...

   


                                                         



                                 

                               3.251


Viver é Perigoso

CONTRA - CULTURA


Piedade para a nação cujos homens são ovelhas e cujos pastores são guias ruins. 
Piedade para a nação cujos líderes são mentirosos e cujos sábios são silenciados. 
Piedade para a nação que não levanta a sua voz exceto para louvar os conquistadores e aclamar os prepotentes como heróis e que aspira a comandar o mundo com a força e a tortura. Piedade para a nação que não conhece nenhuma outra língua se não a sua própria nenhuma outra cultura a não ser a sua própria. 
Piedade para a nação cujo fôlego é dinheiro e que dorme o sono daqueles com a barriga muito cheia. 
Piedade para a nação - oh, piedade para os homens que permitem que os próprios direitos sejam corroídos e suas próprias liberdades levadas embora. 
Minha Pátria, lágrimas de ti doce terra de liberdade! 

Lawrence Ferlinghetti

Foi um poeta, editor e pintor americano da Geração Beat, mais conhecido pela sua obra poética e por ter sido o responsável pela divulgação em livro de todos os maiores expoentes daquele movimento e suas maiores obras.

Lawrence Ferlinghetti nasceu em Yonkers, Nova York, em 1919. Seu pai, o italiano Carlo Ferlinghetti, morreu antes de ele nascer, e sua mãe foi internada por problemas nervosos quando ele era muito pequeno. 

Ferlinghetti foi criado por uma tia materna e passou os cinco primeiros anos de vida na França. Após voltar para os Estados Unidos, passou por várias escolas até ingressar na University of North Carolina, na qual estudou jornalismo. Publicou suas primeiras histórias na Carolina Magazine.

Em 1941  entrou para a Marinha. Serviu durante a Segunda Guerra Mundial, participando, inclusive, da invasão da Normandia. Logo após a guerra trabalhou por um breve período na revista Time, antes de retomar os estudos e ir para a Columbia University, e nela o obter o grau de mestre em literatura inglesa, em 1947. Seguiu para a França e doutorou-se pela Sorbonne em 1950, com menção honrosa.

Ao voltar para os EUA em 1951, instalou-se em São Francisco e passou a dar aulas de francês, traduzir, pintar e fazer crítica de arte. As primeiras traduções foram publicadas em uma revista cultural por Peter D. Martin, que em 1953 se tornaria seu sócio na antológica livraria City Lights. 

Um ano depois da saída de Martin, Ferlinghetti fundou a editora City Lights, pela qual publicou seu primeiro livro, Pictures of the Gone World, primeiro volume da Pocket Poets Series. O quinto número dessa coleção foi o emblemático Uivo, de Allen Ginsberg. 

A partir de então a editora ficou conhecida por publicar os grandes autores beat, como Jack Kerouac, Gregory Corso e William Burroughs. 

Mesmo que o estilo literário, a temática e o modo de vida não façam de Ferlinghetti exatamente um beat, ele comumente é identificado como integrante dessa geração de escritores. Kerouac eternizou o amigo em Big Sur, romance autobiográfico no qual Ferlinghetti aparece com o nome de Lorenzo Monsanto, retratado como uma figura generosa e bem-humorada.

Ferlinghetti, tomou o barco com 101 anos, no dia 22/02/2021

Viver é Perigoso

HORÁRIO NOBRE

Arear significa dar brilho, polir, esfregar com areia. No passado, as panelas eram polidas com água e areia para retomarem seu brilho.

Areia ? Isso mesmo! Essa técnica é das antigas. Mas não se preocupe, hoje em dia a areia foi substituída pela palha de aço, nosso famoso utensílio mil e uma utilidades.

Porém, a técnica de arear deve ser feita somente do lado externo da panela. Isso porque o contato da palha de aço com a superfície de metal da panela pode fazer com que se soltem algumas substâncias que podem contaminar sua comida.

Por falar nisso, o presidente Jair Bolsonaro convocou emissoras de rádio e TV para um pronunciamento, hoje, em cadeia nacional. O período reservado é de 3 minutos, às 20h30min.

Viver é Perigoso

MOMENTOS MÁGICOS


Viver é Perigoso

 

CARTA QUE RECEBI


Itajubá, 23 de março de 2021

Ref - Vacinação

Zelador,

Tem muita coisa que precisa ser esclarecida quanto à vacinação de Itajubá.

Pouso Alegre está vacinando pessoas de 75 e 76 anos, Varginha e Poços de Caldas já iniciaram a vacinação de pessoas de 75 a 79 anos. Itajubá ainda está vacinando pessoas de 80 a 84 e pretende iniciar essa semana pessoas acamadas de 75 a 80.

Cidades de São Paulo, como Campos do Jordão, por exemplo, já vacinam hoje pessoas de 70 anos. Maria Bethânia foi vacinada no Rio ontem aos 73. Rio Grande do Sul já vacina pessoas na casa dos 60.

Minas Gerais está muito atrasada na vacinação, porque Zema é o maior dos bolsominions governadores. Isso é fato. Mas por que em Itajubá está tão atrasada a vacinação? Por que cidades maiores já atingem a população mais jovem? Cadê a lista de vacinados? Itajubá tem recebido menos vacinas?

São perguntas que eu faria às autoridades da cidade, mas sabemos que eles são avessos a questionamentos.

Marco Antonio Gonçalves

Blog: A impressão que passa é que a moçada está perdida.

Viver é Perigoso

SÓ MÁS NOTÍCIAS

 

Viver é Perigoso

PORQUE NÃO COPIAM O PROCEDIMENTO AQUI ?

 

Boa notícia!

Você faz parte do grupo de pessoas entre 72 e 74 anos e já pode ser vacinado(a) contra a COVID-19! Acesse www.vacinaja.sp.gov.br, saiba a localização dos postos de vacinação e acesse informações atualizadas.

Atenção: O Governo do Estado de São Paulo não envia mensagens de texto (SMS) com links ou realiza contato telefônico para solicitar ou validar dados e informações.

Essa é uma mensagem automática. Solicitamos que, por favor, não responda este e-mail.

Viver é Perigoso