sábado, 6 de fevereiro de 2021

TEMPOS CINZENTOS

 

Este livro narra em detalhes a descoberta da Vala de Perus, trinta anos atrás. Acontecido no Cemitério Dom Bosco, em Perus, na Grande São Paulo. Um ossário clandestino foi utilizado para esconder mais de mil corpos. Um buraco estreito e pouco profundo, com 30 metros de comprimento, 50 cm de largura e 2,70 metros de profundidade.

1.049 ossadas foram descobertas, sendo a maioria composta por indigentes e mortos pela polícia.

Autoridades interessadas auxiliam os familiares na identificação de 45 jovens desaparecidos políticos nos tempos de ditadura. Quase todos estudantes, que foram presos, torturados e mortos nas prisões.

Os corpos dos jovens militantes políticos, foram trucidados na tortura e os corpos, eram enviados para Perus, acompanhados por folha de papel, identificados por codinomes, com uma letra T (terrorista) em vermelho.

O difícil trabalho continua. Esses anos todos, apenas 5 corpos foram identificados. Denis Casemiro, fuzilado em 1971 com 28 anos. Frederico Eduardo Mayr, em 1971, com 24 anos. Flávio Carvalho Molina, em 1971, com 24 anos, Dimas Antônio Casemiro, em 1971, com 25 anos, Aluísio Palhano Pedreira Ferreira, em 1971, com 49 anos (funcionário do Banco do Brasil). Todos sepultados por suas famílias.

No ano de 1971, eu também tinha 24 anos e era estudante universitário. Desde 1968 (AI-5), fui pela volta da democracia, mas sempre posicionando contra a luta armada. Vivi os mesmos momentos.

Terríveis casos da história que precisam ser lembrados para que não aconteçam mais.

Viver é Perigoso

QUESTÃO DEFINIDA


"O mais votado na eleição para reitor nas universidades federais concorre, depois do pleito, a uma banana do presidente da República."

Jornal do Cínico - ZéBeto

A maioria dos ministros do STF decidiu ontem (5) rejeitar liminar solicitada pela OAB para o presidente da República ser obrigado a nomear o 1º colocado na lista tríplice para escolha dos reitores das universidades federais. Foram 7 votos pela rejeição da liminar e 3 a favor.

Viver é Perigoso

PRENDAM A POLÍCIA !



"Absurdos cometidos por ocasião do julgamento de Curitiba."

As flores de plástico contidas em uma vaso ao lado da mesa do juiz não combinavam com a cortina e o carpete da sala de julgamento. A água servida era propositalmente sem gás. Os advogados de defesa foram pressionados arbitrariamente para desligar seus celulares. As folhas de papel A4 utilizadas para anotações eram de qualidade inferior.

Afinal, teve algum crime além dos absurdos descuidos mencionados acima ?

Viver é Perigoso

QUEM AVISA AMIGO É ...


 Viver é Perigoso

TE CUIDA POUSO ALEGRE FC

Sou amigo e sempre presto solidariedade aos meus amigos botafoguenses. Gosto muito de todos os dez. Pensando neles neste momento em que o time volta para a Segunda Divisão, atento para o lado bom do momento. Todos eles já terão o direito prioritário de tomar a vacina nos próximos dias. 

Outro aspecto positivo é que a queda do Fogão para a Segundona é que , por não ser surpresa, ninguém faz gozação com o fato.

Mas a notícia alvissareira é que poderão assistir presencialmente, renhidos embates com o time do Pouso Alegre. Pertinho.

Não poderia ser outro. Foi o tricolor Nelson Rodrigues quem definiu, de forma precisa, o torcedor botafoguense:.

"... ele compra o seu ingresso como quem adquire o direito, que lhe é sagrado e inalienável, de sofrer. Eis a verdade: - ele não vai a campo ver futebol. O futebol é um detalhe secundário e, mesmo desprezível. Ele quer, acima de tudo, desgrenhar-se, esganiçar-se e rugir contra o técnico e contra os jogadores.No dia que retirarem do torcedor alvinegro o inefável direito de sofrer e, sobretudo,o direito ainda mais inefável de descompor o seu técnico, ele ficará inconsolável, como um ser que perde, subitamente, a sua função e o seu destino.Tudo na vida é uma questão de hábito. E o cidadão que padece todos os dias, acaba-se afeiçoando ao próprio martírio ou mais do que isso: - o martírio torna-se insubstituível como um vício funesto.É o caso da torcida alvinegra sofre e já não pode viver de outra forma."


Viver é Perigoso