terça-feira, 12 de janeiro de 2021

MOÇA BONITA


Viver é Perigoso

 

ACABOU A GASOLINA


Em Santa Rita do Sapucaí - O Governador de Minas Gerais, Romeu Zema certificou Santa Rita do Sapucaí (MG) como Parque Tecnológico Aberto. A certificação foi feita nesta terça-feira (12) durante visita do chefe do Executivo Estadual. Com o reconhecimento, a cidade passa a ter o sexto parque tecnológico de Minas Gerais.

Também com a certificação, o Vale da Eletrônica, como o município é conhecido, passa a contar com políticas públicas específicas e benefícios fiscais, como acesso a financiamento com taxas mais vantajosas.

Destacou o governador Romeu Zema :

“O reconhecimento do município como Parque Tecnológico certamente irá abrir muitas portas para novos investimentos. Um dos principais polos de desenvolvimento tecnológico do Brasil passa a ser reconhecido nacional e internacionalmente, promovendo novas conexões, formalização de parcerias e geração de empregos”, destacou o governador Romeu Zema.

Blog: Ontem (11) o Governador esteve em Varginha e Três Pontas. Hoje, Zema esteve em Extrema e Pouso Alegre. Deve ter acabado a gasolina e não deu para chegar até Itajubá. 

Viver é Perigoso

MELHOR AQUI PERTINHO


General Mills anuncia transferência da unidade no RS para Pouso Alegre

A partir de maio, a empresa concentrará a produção de pipoca na cidade mineira. Com isso, as atividades na fábrica de Nova Prata (RS) serão encerradas.

A General Mills – dona da Yoki, Haagen Dazs, entre outras marcas – anunciou uma nova reestruturação em operações no Brasil. 

A partir de maio, a empresa concentrará sua produção de pipoca na cidade de Pouso Alegre. Com isso, as atividades na fábrica de Nova Prata (RS) serão encerradas.

Terra do Mandu

Viver é Perigoso

MUITO ESTRANHO



Deu no jornal O Tempo

O Ministério Público abriu inquérito na última sexta-feira (8) para apurar a suspeita de irregularidades praticadas pela diretoria da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) em uma suposta operação para transferir a sede da empresa para São Paulo. Após o início das investigações, alguns funcionários foram afastados.

Por meio de nota, a Cemig confirmou o afastamento do superintendente de Suprimentos e Logística, Paulo Gonçalves Vanelli, e de outros quatro gerentes do mesmo setor, todos funcionários de carreira da empresa, mas há rumores de que tenham sido entre 12 e 15. Ainda segundo a empresa, eles foram afastados preventivamente após “denúncia recebida pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que requisitou informações à Companhia”. 

O inquérito aberto pelo Ministério Público na última sexta-feira apura a intenção da Cemig de transferir sua sede para São Paulo “com o objetivo de deixar de recolher ICMS aos cofres do Estado de Minas Gerais”. 

Além disso, a investigação da 17ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa do Patrimônio Público apura a contratação de um “escritório de advocacia sem licitação, denominado Lefosse, para tratar de assuntos supostamente escusos, além de outras irregularidades, com o intuito de facilitar o processo de privatização da empresa pública”, conforme registra a descrição do inquérito.

Viver é Perigoso

E NÃO PODERIA SER DE OUTRA FORMA


DECRETO Nº. 8250/2021

Art. 1º. Fica declarado, para os fins do art. 65 da Lei Complementar Federal nº 101, de 2000, estado de calamidade pública no âmbito de todo o território do Município de Itajubá, com efeitos até o dia 30 de junho de 2021, em razão dos impactos socioeconômicos e financeiros decorrentes da pandemia causada pelo agente Coronavírus – COVID-19. 

Parágrafo único. O estado de calamidade pública de que trata o caput deste artigo será submetido, para reconhecimento, à deliberação da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais – ALMG –, nos termos do art. 65 da Lei Complementar Federal nº 101, de 2000.

Itajubá, 12 de janeiro de 2021

Christian Gonçalves Tiburzio e Silva - Prefeito Municipal

Viver é Perigoso

O GRANDE CENTRÃO !


PT apoia o Baleia, candidato do Rodrigo Maia para a presidência da Câmara e o Rodrigo Pacheco, candidato do Alcolumbre e Bolsonaro, para a presidência do Senado. Tudo em casa.

Meta de todos os candidatos: Liquidar com a Lava Jato e enterrar a prisão após 2ª instância. Ah...e a indicação de um parceiro para algum cargo que proporcione recursos. 

De repente, podem mudar o nome para PT do B.

Viver é Perigoso

REPETIÇÃO DA HISTÓRIA


Os últimos acontecimento me levaram a folhear o livro lido em agosto de 2010. É a vida...

Fordlândia - Ascensão e queda da cidade esquecida de Henry Ford na selva - Editira Rocco - 399 páginas.

Em 1927, o governo do Pará cedeu a Henry Ford um milhão de hectares para o plantio de seringueiras. 

Ford tinha a intenção de tornar Fordlândia o polo fornecedor de látex aos seus empreendimentos, já que o material era necessário a confecção de pneus para seus automóveis. Até então, as empresas de Ford eram dependentes da borracha produzida na Malásia, na época colônia britânica. Os termos da concessão isentavam a Companhia Ford do pagamento de qualquer taxa de exportação de borracha, látex, pele, couro, petróleo, sementes, madeira e outros bens produzidos na gleba.

Foi escolhido para sediar o projeto o vale do Rio Tapajós e  lá fundadas duas cidades com a estrutura completa de towns americanas: Fordlândia, em 1928, e Belterra, em 1934.

O projeto utópico que durou 18 anos, foi oficialmente encerrado em 24 de dezembro de 1945, com acordo entre a Ford e o governo federal. A Ford foi indenizada em aproximadamente US$ 250 000, depois de ter investido na região milhões de dólares.

Ficaram na posse do governo brasileiro, seis escolas (quatro em Belterra e duas em Fordlândia); dois hospitais; estações de captação, tratamento e distribuição de água nas duas cidades; usinas de força; mais de 70 quilômetros de estradas; dois portos fluviais; estação de rádio e telefonia; duas mil casas para trabalhadores; trinta galpões; centros de análise de doenças e autópsias; duas unidades de beneficiamento de látex; vilas de casas para a administração; departamento de pesquisa e análise de solo; plantação de 1 900 000 seringueiras em Fordlândia e 3 200 000 em Belterra.

O governo brasileiro assumiu as obrigações trabalhistas dos trabalhadores remanescentes.

Interessante: Com o passar do tempo, os empregados ficaram insatisfeitos com regras que, na época, eram muito novas para os trabalhadores da região, como sirenes, relógios de ponto e regras de comportamento. Recebiam uma alimentação típica norte-americana e comandados num estilo a que não estavam habituados, o que causava conflitos e baixa produtividade. Em 1930, os trabalhadores locais se revoltaram - no refeitório em uma ação conhecida como quebra-panelas - contra gerentes truculentos, que tiveram que se esconder na selva amazônica até o exército brasileiro intervir e restabelecer a ordem.

Curiosidade: Walt Disney visitou Fordlândia em 1941 para fazer um documentário.

Viver é Perigoso

COVID KID

 


Viver é Perigoso