quinta-feira, 3 de junho de 2021

BEAU GESTE


A governo dos Estados Unidos anunciou nesta quinta-feira (3) os detalhes de seu plano para compartilhar pelo menos 80 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 com o resto do mundo até o final de junho, incluindo um plano específico para as primeiras 25 milhões de doses.

O Brasil será beneficiado por meio de doses recebidas através do consórcio internacional Covax Facility, aliança internacional coordenada pela Organização das Nações Unidas - ONU para acelerar o desenvolvimento e a produção de vacinas contra o novo coronavírus e garantir o acesso igualitário aos imunizantes.

O total de doses de vacinas que serão destinadas ao Brasil ainda não está claro – os EUA não informaram, separadamente, quantas unidades serão destinadas por país. O comunicado da Casa Branca, porém, diz que o país está no grupo que receberá 6 milhões de unidades por meio da Covax. 

Além do Brasil, essas unidades serão divididas por Argentina, Colômbia, Costa Rica, Peru, Equador, Paraguai, Bolívia, Guatemala, El Salvador, Honduras, Panamá, Haiti e outros países caribenhos, além da República Dominicana.

Entenda-se : "As vacinas e as quantidades específicas serão determinadas e compartilhadas à medida que o governo trabalhar por meio dos parâmetros logísticos, regulatórios e outros específicos de cada região e país".

Blog: Como o governo brasileiro tem mantido um relacionamento cordial e amistoso com os EUA e a ONU, a distribuição da ajuda deverá ser a mais justa possível. Repetindo: "Justa". 

Viver é Perigoso

2 comentários:

Anônimo disse...

Caríssimo o problema da distribuição via Covax é que lá atrás (set/2020) o trio Bozo/Pazu/Ernesto decidiu burramente que a participação do Brasil no consórcio da OMS seria SÓ de 10% da população não de 20% como outros países. 21 milhões de doses em vez de 42 milhões. Portanto agora nessa distribuição da doação americana o mesmo porcentual via Covax deve se aplicado. Mais uma para a CPI investigar. Que coisa não? Como deixamos um trio desses tomar conta de decisões sobre a morte ou vida de milhares de compatriotas?

Anônimo disse...

Logo vamos ter independência e vamos exportar vacinas para o mundo
Tenha paciência , é a vida, o Brasil é maior que os medíocres, é preciso pensar grande.