sexta-feira, 4 de junho de 2021

AMIGOS


"Mesmo com tudo parado e a mesmice de sempre, talvez tentando fingir que tudo segue normal, resolvi emendar o feriado, apesar de ser um dia como os outros. Surpreendido fui pelo telefonema de um amigo dos tempos jurássicos e há muito sem dar notícias.

- Alô, tudo bem com você e sua família ? Descobri o seu telefone e estou lhe ligando para dar um abraço e confirmar que te quero muito bem. Abraço. Tchau.

Só. E precisaria de mais ?

Foi obrigatória a lembrança do Vinícius: 

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.

E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar!

Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.

Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer principalmente os que não desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!

A gente não faz amigos, reconhece-os."

Vinícius de Morais

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: