segunda-feira, 10 de maio de 2021

NA PINDURA


Pensando bem, porque é que não são colocados à venda ? Algum grupo tentaria administrá-los como uma empresa. Provado que do jeito atual são inviáveis.

Sou tempo em que os itajubenses eram torcedores de times de futebol, exclusivamente, do Rio de Janeiro. Ou Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense. O meu avô Jayme Riera era Bangu e o meu primo Carlos Riera, dizia-se América.

De São Paulo ? nem pensar. De Belo Horizonte, muito menos. Aliás, para o interior mineiro o futebol de Belo Horizonte só apareceu pós- Estádio do Mineirão. Nem em álbum de figurinhas apareciam. 

De cair de costas as dívidas dos clubes brasileiros. Impagáveis nas condições atuais. Ou, sugeriria um "espírito de porco" : porque não dividir pelos torcedores, que apaixonadamente a quitariam ? 

E o Cruzeiro, Botafogo e Vasco, encarando uma segundona braba ?  

Atlético Mineiro - R$ 1,2 bilhão

Cruzeiro - R$ 962,5 milhões

Corinthians - R$ 949,2 milhões

Botafogo - R$ 946,2 milhões

Internacional - R$ 882,9 milhões

Vasco - R$ 830,6 milhões

Flamengo - R$ 680,6 milhões

Fluminense - R$ 649,1 milhões

São Paulo - R$ 575,1 milhões

Palmeiras - R$ 565,2 milhões 

Viver é Perigoso

3 comentários:

Anônimo disse...

Veja os salários dos jogadores, é só vender pra eles....

Anônimo disse...

Por mim todos os times podem fechar as portas que não farão falta alguma.
É uma atividade comercial como todas. Não se trata de esporte. É business puro.
Irresponsáveis contumazes e reincidentes sempre atrás do dinheiro público para bancar a má gestão de seus dirigentes.

Futebol é de várzea, dos sem camisa contra os de camisa, de solteiros e casados, de dono da bola jogar no melhor time .....

Se acabarem todos já vão tarde.

Anônimo disse...

Igual para o Carnaval, Igual para a pandemia,igual para a política,
fábricas de dinheiro, pode acabar tudo, kkkkk