segunda-feira, 10 de maio de 2021

A COBRA VAI FUMAR


Sempre tive admiração e respeito pelos brasileiros que participaram da 2ª Guerra Mundial. Conheci e conversei com muitos deles. Conversas interessantes com o meu Tio Cap Chaves e algumas poucas com o Sr. Guilherme Cardoso. Sentia que eles não gostavam muito de falar sobre a participação da FEB em terras italianas. Meu Pai, José Riera, apresentou-se como voluntário. Foi enviado para servir na Guarda-Costeira no nordeste brasileiro. Era e tinha direitos de "Pracinha".

Há séculos temos um admirado vizinho na Boa Vista, ex-pracinha que esteve na Itália, Sr. Zé Dias. Nos cumprimentamos sempre e conversamos por vezes.

Li muito a participação brasileira na 2ª Guerra Mundial. Um dos melhores livros sobre o período é o "Senta Pua", do piloto Rui Moreira Lima. Um clássico da aviação militar brasileira. Moreira Lima foi piloto do Iº Grupo de Caça que combateu na Itália conduzindo um P-47 Thunderbild, sob o lema "Senta a Pua".

Também comprei, tenho-o e li, o livro publicado em 1985 pelo William Waack, com o título "As duas Faces da Glória". O jornalista, quando correspondente no exterior, pesquisou e entrevistou nos EUA e na Europa e escreveu sobre o desempenho da Infantaria Expedicionária Brasileira, que foi uma das 20 divisões aliadas na frente italiana, integrada ao IV Corpo do V Exército Americano.

O livro mostra, com todo jeito possível, comentários/documentos, não totalmente elogiosos a nossa participação na frente italiana. 

Há uns tempos fiz um escrito sobre o tema. Resolvi não publicar. Bom saber, mas só atrapalhará.

O assunto voltou, face a declaração do Gen Braga Netto publicada do último dia 8, em comemoração aos 76 anos do fim da 2ª Guerra Mundial citando: "a cobra fumou e se necessário fumará novamente".

Não tenho dúvidas. 

Viver é Perigoso    

6 comentários:

Anônimo disse...

Zela,
Vc pode falar mais do Guilherme Cardoso?
É nome de uma rua perto de casa.
Minha filha lê "Guilherme Caroso".
Fiquei sabendo agora que é um pracinha.
Abs

Anônimo disse...

Capitão José Dias, 98 anos, herói, o último dos q foram para Itália do 4ºBECmb de Itajubá.

Edson Riera disse...

Pracinha -

Conheci o Sr. Guilherme Cardoso quando em meados dos anos 50 chegou com a família em Itajubá. Vieram de Paraisópolis. Moramos (de frente) na Rua Eulálio Pinto, na Boa Vista, é claro. Casado com Dona Tereza, que graças a Deus está está bem e mora na Rua Miguel Braga. Muitos filhos, todos amigos. Zé Cláudio, Cleusa, Fatinha, Guilherme, Beto, Suely, Beto e a inesquecível Bia, que tomou o barco com muitíssima antecedência. Era casada com o grande amigo Marcos Berti. O Sr. Guilherme foi pioneiro (sócio) do primeiro supermercado no Sul de Minas. O lendário Peg-Pag, que funcionou na esquina da Miguel Braga com a Maria Carneiro. Teve um armazém que marcou época na Boa Vista. Pessoal do bem.

Zelador

Anônimo disse...

Se me lembro bem o Peg Pag foi inaugurado pelo Zé Correinha com o Lazinho (padaria Padaria Morro Chic)tendo como sócios os Irmãos Coutinhos(donos do prédio) que posteriormente passaram ao Sr. Guilherme Cardoso e seu sócio Hélio Nogueira de Sá. O sr. Guilherme o passou ao Jorge (não lembro o sobrenome) antigo proprietário do Bar Acadêmico.Depois fechou e virou restaurante.
O Sr. Guilherme Cardoso junto com o Geraldo Vasconcelos (tocava armazém da avenida com o pai Sr. João )tinham um tino comercial invejável.
Boa Vista dos bons tempos. Armazém do Guilherme, Padaria Boa Vista, Barbearia do Aníbal, Armazém do sr. Albertino Paes e seu famoso pastel de milho, Macarrão Ferrini. Bons tempos.

Edson Riera disse...

Bons Tempos -

Correto. O Jorginho (ex-Acadêmico) montou o Canequinha. Frequentei muito. Sou de um tempo mais para trás ainda. Lembro-me do armazém do Zé Correinha (na época era chamado de "venda") lá onde hoje fica o trevo do Novo Horizonte com a saída da cidade (pé do morro no final da Boa Vista). Quem tocava era o Lazinho, que na minha época de presidente, comandou por uns tempos o bar do Clube Itajubense. A memória tem que ser preservada.
Grato
Zelador

Anônimo disse...

A memória tem q ser preservada...é..verdade.
Não podemos esquecer o passado
Principalmente dos heróis, enfim