segunda-feira, 19 de abril de 2021

GENTE NOSSA

 


Leandro Primo Capello. Mineiro de Itajubá está com 65 anos. Como ele mesmo se define, é um "molecão". Um adulto que não deixa morrer a criança que foi um dia, que amava brincar de taco, bolinha de gude, pião e "mamãe da rua". Outra diversão para ele era ir ao então Hospital das Bonecas, criado pelo avô em 1937, na Penha, zona leste de São Paulo.

Hoje administra o hospital Hospital das Bonecas, Brinquedos e Games com a sua experiência e as ideias modernas do filho mais velho, que é engenheiro de produção, e dos funcionários.
O Hospital das Bonecas conta com uma estrutura idêntica a um hospital real, com centro cirúrgico, berçário e até uma ambulância que busca e leva nossos "pacientes" até suas casas. Uma equipe de médicos e enfermeiras está sempre a postos para atender a todos os tipos de emergências, oferecendo o melhor cuidado e reparo para seus brinquedos.

Hoje o Hospital das Bonecas conta com quatro unidades e atende cerca de 19 empresas autorizadas consertando praticamente todos os tipos de produtos, sendo a maior companhia de consertos de brinquedos do Brasil.

Leandro, ainda menino, observava o pai trocar os olhos das bonecas, pintar a boca ou a sobrancelha delas com um pincel, e a mãe derreter cera para colar os cabelos de nylon. O trabalho artesanal e minucioso o deixava encantado. Foi ali, com uma boneca de borracha, que ele aprendeu o ofício.

Já adolescente, Leandro começou a achar tudo obsoleto no hospital. Queria que aquele mundo mágico e lúdico parecesse um hospital de verdade, com direito a uma ambulância.

Começou ainda adolescente, saindo com uma sacola cheia de olhos de bonecas e batendo na porta de casas em bairros nobres com a pergunta - Você tem bonecas para trocar os olhos? Era bem recebido na maioria das vezes, pois a cidade não era violenta. Passava o dia inteiro na rua e voltava com a sacola cheia de dinheiro.

Depois de cinco anos, veio a recompensa. Com a ajuda do pai, conseguiu comprar uma Kombi 0 km, a mais luxuosa que tinha, e a estampou com o nome do hospital e o símbolo da Brinquedos Estrela, com a autorização da fábrica.

- O que eu faço, e todos os meus colaboradores fazem, é resgatar sonhos. Todas as bonecas e brinquedos têm uma história. E toda história tem um passado. E esse passado marca. Deus me deu esse dom. Sou um Gepeto da vida real. O Gepeto veio para realizar sonhos.

Dica: Anselmo - Uol

Viver é Perigoso




Nenhum comentário: