sábado, 3 de abril de 2021

DESABAFO


" Estamos doentes. Não é apenas o vírus da covid-19 que nos faz adoecer e que nos mata. Estamos tomados também por uma doença coletiva que nos cega e confunde, deixa-nos sem ação. A esperança é tirada de nós a cada dia, com mais brasileiros morrendo. Somos distraídos pelos absurdos promovidos pelo governo federal. É como se estivéssemos todos bebendo de um poço envenenado, que nos deixa inebriados.

A política tem tomado conta das nossas vidas. Mas não de forma eficiente. Pessoas que nunca saberiam dizer em quem votaram para deputado – ou talvez até para presidente – emitem opiniões fortíssimas a respeito de política de preços de combustíveis, de regulação de monopólio e de estratégias de contenção em uma pandemia. O papel do especialista é sufocado pelo suposto conhecimento que muitos obtiveram pelas redes sociais. Conhecimento objetivo se mistura com ideologia.

Do outro lado, ficamos enfurecidos a cada loucura cometida. É contrato de vacina rejeitado, é ema, é leite condensado, é mansão, é minimização da dor das famílias que perderam entes queridos na pandemia. Reclamamos, trocamos indignações, alguns memes, mas, além disso, nada fazemos. 

Nossa depressão coletiva, que nos deixa inertes. Numa democracia, as instituições estão acima dos indivíduos que as representam para que o bem-estar social seja o objetivo. Tenho dúvidas se as instituições brasileiras estão funcionando como deveriam."

Laura Karpuska - Doutora em Economia pela Universidade do Estado de Nova York

Viver é Perigoso

4 comentários:

Anônimo disse...

Verdade verdadeira.
Sobre o conhecimento: hoje no Google temos tudo. Das doenças, aos diagnósticos, aos tratamentos e remédios por exemplo. Isso é INFORMAÇÃO. Então somos todos médicos? Devemos fechar todas as escolas de medicina? Claro que não!!!. Elas e a vida profissional nos darão INFORMAÇÃO mais CONHECIMENTO. Isso é essencial.
E vai por aí em quase tudo.
Sobre a alienação tem um pensamento do maior geógrafo brasileiro, Milton Santos: "A força da alienação vem dessa fragilidade dos indivíduos, quando apenas conseguem identificar o que os separa e não o que os une." Observador de Cena

Anônimo disse...

Que coisa, que interessante, e?

Anônimo disse...

Faço dela minhas palavras, fazemos dela nossas palavras, estamos no mesmo MAR, uns de barco, uns de yate uns de bote e a maioria de CANOA, ou um pedaço de tábua....é a vida, sbrevive quem pode.

Anônimo disse...

Todo mundo crítica, reclama, xinga, enfim, agora NINGUÉM propõe alguma alternativa, ou dá ideia, filho feio não tem pai, se vc precisar de alguém para falar mal é fácil, mas de alguém para propor uma saída, não tem. Sabemos q Noticia ruim vende jornal....÷é difícil..