sexta-feira, 5 de março de 2021

O CAVALEIRO DA MORTE


Há quase um ano, em 15 de maio, o ator e ex-deputado Stepan Nercessian publicava um poema intitulado O Cavaleiro da Morte. Naquele dia, o então ministro da Saúde, Nelson Teich, deixava o governo e o país registrava 14.817 mortes. Hoje, o Brasil alcançou a triste marca de 261.188 vidas perdidas ou 246.371 a mais, o que torna as palavras de Stepan ainda mais atuais.

O Cavaleiro da Morte
Cavalga feliz
Pisoteando cadáveres
Ele se alimenta
De sangue
Dor
E sanguinolência
Despreza a ciência
Espalha a estupidez
Tudo
De uma só vez.
O ódio
Lhe escorre na testa
E faz do luto
A sua festa
Funesto carnaval
Vestido de mal
Prometendo
Piorar.
A morte
Avisa
Que não está
Ao lado do
Cavaleiro
A morte
Diz que mata
Mas não tripudia
O cavaleiro
Da morte
Não respeita
Nem a própria
Morte
Ele odeia a vida
Ele é um suicida.
Fiquem em casa
Até que o Cavaleiro
Da Morte
Se desfaça
Embebido
Em sua própria
Desgraça.

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

Por falar no ex ministro Nelson Teich,estava revendo outro dia aquela gravação da reunião ministerial liberada pelo Supremo (22/04/20)no âmbito das denúncias do ex Sérgio Moro. Nelson estava sentado ao lado do ministro do Meio Ambiente que falava em " aproveitar a pandemia e passar a boiada" e também assistia estupefato o palavrório e os impropérios que saiam da maldita boca presidencial. Cientista culto, educado, PhD deixava transparecer na fisionomia " o que eu estou fazendo aqui?". Dias depois pediu as contas. Observador de Cena