segunda-feira, 15 de março de 2021

GRUPO DE RISCO


Sei não, mas imagino que encontrei um caso onde a tecnologia, no caso, computadores, não agilizaram e tornaram a vida mais fácil, pelo contrário.

Numa farmácia de uma grande rede, o atendimento, graças aos computadores, virou uma novela. 

No atendimento, mesmo para a compra de uma cibalena (lembrou colega ?), são feitos tantos questionamentos e impressão de papeis, que seria recebido de bom grado na saída, de brinde, uma garrafinha de suco de maracujá, próprio para acalmar os nervos.

Pessoal atencioso, preços razoáveis e disponibilidade de marcas.

O que estraga e torna tudo lento e demorado, por mais paradoxal que seja, é a informática.

Viver é Perigoso

2 comentários:

Anônimo disse...

"O Brasil precisa de protocolos, e isso é pra ontem. (...) Nós estamos discutindo azitromicina, ivermectina, cloroquina. É coisa do passado. A ciência já deu essa resposta. Cadê um protocolo de tratamento? (...) Perdeu-se muito tempo na discussão de medicamentos que não funcionam." Ludhmila Hajjar ao recusar o MS após os ataques dos seguidores bolsonaristas.
Entenderam conterrâneos manipuladores e seguidores de maus conselhos?
Também falou "É um desejo meu que quem vá substituir o Pazuello tenha autonomia. Depende uma mudança do governo, do que pensa sobre a pandemia."
Tristeza Dra., autonomia, mudança do governo? Vão morrer milhares e ELLE não muda uma vírgula!Um dia vai ser chamado a prestar contas. Ah vai!

Anônimo disse...

Se for pagar com cartão então........