sábado, 6 de fevereiro de 2021

TEMPOS CINZENTOS

 

Este livro narra em detalhes a descoberta da Vala de Perus, trinta anos atrás. Acontecido no Cemitério Dom Bosco, em Perus, na Grande São Paulo. Um ossário clandestino foi utilizado para esconder mais de mil corpos. Um buraco estreito e pouco profundo, com 30 metros de comprimento, 50 cm de largura e 2,70 metros de profundidade.

1.049 ossadas foram descobertas, sendo a maioria composta por indigentes e mortos pela polícia.

Autoridades interessadas auxiliam os familiares na identificação de 45 jovens desaparecidos políticos nos tempos de ditadura. Quase todos estudantes, que foram presos, torturados e mortos nas prisões.

Os corpos dos jovens militantes políticos, foram trucidados na tortura e os corpos, eram enviados para Perus, acompanhados por folha de papel, identificados por codinomes, com uma letra T (terrorista) em vermelho.

O difícil trabalho continua. Esses anos todos, apenas 5 corpos foram identificados. Denis Casemiro, fuzilado em 1971 com 28 anos. Frederico Eduardo Mayr, em 1971, com 24 anos. Flávio Carvalho Molina, em 1971, com 24 anos, Dimas Antônio Casemiro, em 1971, com 25 anos, Aluísio Palhano Pedreira Ferreira, em 1971, com 49 anos (funcionário do Banco do Brasil). Todos sepultados por suas famílias.

No ano de 1971, eu também tinha 24 anos e era estudante universitário. Desde 1968 (AI-5), fui pela volta da democracia, mas sempre posicionando contra a luta armada. Vivi os mesmos momentos.

Terríveis casos da história que precisam ser lembrados para que não aconteçam mais.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: