quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

SEM LEI E SEM ALMA



O Supremo Tribunal Federal decidiu manter o acesso da defesa do condenado Lula à integra do material apreendido de um bando de hackers, marginais, que invadiu celulares de autoridades, atingindo o Juiz Sérgio Moro e procuradores que atuaram na força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Material roubado e com possibilidade de adulteração. Pior, para beneficiar corruptos comprovados e satisfazer o ódio vindo da inveja pela repercussão de um trabalho extraordinário e com resultados que mudaram a história do País.

Hoje: empresa de segurança detecta um novo vazamento de dados na internet, que pode ter exposto mais de 100 milhões de contas de celular. 

Entre as informações vazadas, poderão estar as minhas, as suas, de seus familiares, bem como, do presidente Jair Bolsonaro, do jornalista William Bonner e da apresentadora Fátima Bernardes.

Caminhando para viver num País sem lei e sem alma.

Viver é Perigoso

3 comentários:

Anônimo disse...

A impressão q eu tenho é que este stf só serve pra estas coisas, quantos assuntos importantes tem lá pra ser resolvido para o POVO! É UMA VERGONHA. Este nosso Brasil não tem jeito não, alias culpa do Bolsonaro q a meu ver tá muito fraquinho....

Anônimo disse...

Criaram uma lei de proteção de dados e uma Autoridade Nacional de Proteção de Dados. Nas barbas tivemos ataques ao Ministério da Saúde, aos Tribunais Superiores STF,STJ,TSE, vazamentos de CPFs de 230 milhões e agora 100 milhões de celulares. A tal Autoridade diz que vai tentar amenizar os danos dos vazamentos. Me lembra o dito popular "Depois da casa arrombada, cadeado à porta." causídico jurássico

Anônimo disse...

Camarada nem cadeado tem pra por. A tal agência não tem praticamente nada funcionando pediu ajuda a polícia e aos arapongas. Enquanto isso na Pindorama chamada Brasil vamos adoecendo e morrendo aos montes no meio de uma incompetência sanitária danada, só os políticos sobrevivem de olho nas próximas eleições. E dá-lhe a nossa vida, dados, intimidade serem escarafunchados por sabe-se lá quem.