sábado, 20 de fevereiro de 2021

LA DIVINA


Maria Kekília Sofia Kalogerópulu, simplesmente, Maria Callas. O que ainda confunde muita gente: A soprano grega, nasceu em Nova York em 1923. Filha de imigrantes, voltou com sua mãe, em 1937, com 14 anos, para a Grécia.

"La Divina", com um raríssimo tipo vocal classificado como soprano absoluto, despontou para o canto lírico, com 25 anos. Presença marcante nos grandes palcos de ópera do mundo. La Scala, Convent Garden e Metropolitan.

Vida pessoal tumultuada. Apaixonada pelo magnata grego Aristóteles Onassis, que era casado com Athina Livanos. Em 1960, Callas e Onassis, tiveram o filho Omeru Lengrino, que faleceu com um dia de vida. Em 1965 sua carreira entrou em declínio. Onassis a deixou pela Jacqueline Kennedy.

Sua última apresentação na ópera foi Londres, na Tosca ( Puccini ). Voltou a cantar (não em óperas) em 1973. Em Sapporo no Japão (1974), cantou em público pela última vez.

Tomou o barco em Paris em 1977 com 53 anos.

Numa visita a Paris, visitamos o túmulo da La Divina no Cemitério Père Lachaise. Curiosidade: O corpo tinha sido cremado e as cinzas espalhadas nas ondas do Mar Egeu.

Viver é Perigoso


Nenhum comentário: