sábado, 20 de fevereiro de 2021

2020 - O ANO EM QUE VIVEMOS EM PERIGO



Pelo que parece, tem uma família de brasileiros na região onde o vírus (Wuhan) está atuando. Não seria oportuno a gente tirar de lá, com todo o respeito. Pelo contrário, agora não vamos colocar em risco nós aqui por uma família apenas. E mais, se a economia afundar, afunda o Brasil. E qual o interesse dessas lideranças políticas? Se acabar a economia, acaba qualquer governo. Acaba o meu governo. É uma luta de poder. 
Aliás, eu não sou médico, não sou infectologista. O que eu ouvi até o momento é que outras gripes mataram mais do que esta. Entendam, o número de pessoas que morreram de H1N1 é na ordem de 800 pessoas. A previsão é não chegar a essa quantidade de óbitos no tocante ao coronavírus. 
Considerando o meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria acometido, quando muito, de uma gripezinha ou resfriadinho.
Tem a questão do coronavírus também que, no meu entender, está superdimensionado, o poder destruidor desse vírus. O brasileiro tem que ser estudado. Ele não pega nada. Você vê o cara pulando em esgoto  e não acontece nada com ele. Eu acho até que muita gente já foi infectada no Brasil, há poucas semanas ou meses, e ele já tem anticorpos que ajudam a não proliferar isso daí.
Sou católico, e minha esposa, evangélica. Estou pedindo um dia de jejum para quem tem fé. A gente vai, brevemente, com os pastores, padres e religiosos, anunciar. Pedir um dia de jejum para todo o povo brasileiro, em nome, obviamente, de que o Brasil fique livre desse mal o mais rápido possível.
No mais, eu não sou coveiro, talkei ? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre. Toma quem quiser, quem não quiser, não toma. Quem é de direita toma cloroquina. Quem é de esquerda toma Tubaína. 
Muita gente tem morrido em casa, não vai ao hospital porque tem medo de pegar o vírus. O pânico também mata. O que eu posso falar para todo mundo, eu já dizia no passado e era criticado, esse vírus é como uma chuva, vai atingir você.
Vocês não entraram na conversinha mole de 'fica em casa'. Isso é para os fracos." o uso da hidroxicloroquina, que, mesmo não tendo ainda comprovação científica, salvou a minha vida e, como relatos, a de milhares de brasileiros.
Tem que acabar com esse negócio. Lamento os mortos, todos nós vamos morrer um dia. Não adianta fugir disso, fugir da realidade, tem que deixar de ser um país de maricas. 
Eu não posso falar como cidadão uma coisa e como presidente outra. Mas como eu nunca fugi da verdade, eu te digo: eu não vou tomar vacina. E ponto final. Se alguém acha que a minha vida está em risco, o problema é meu.  Na Pfizer, está bem claro no contrato: 'nós não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral'. Se você virar um jacaré, é problema de você. Não vou falar outro bicho aqui para não falar besteira. Se você virar o super-homem, se nascer barba em alguma mulher aí ou um homem começar a falar fino, eles não têm nada a ver com isso. 
A pandemia realmente está chegando ao fim. Os números têm mostrado isso aí.

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

comentários copiados/ registrados pra mim para lembrar em out de 22