sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

PELA CAUSA, AINDA ESTÁ DE BOM TAMANHO


O governo brasileiro irá pagar ao Instituto Serum, da Índia, um valor mais de duas vezes superior ao que os países ricos da UE (União Europeia) destinaram para garantir as vacinas da AstraZeneca. 

Depois de um desencontro entre os governos do Brasil e da Índia, os dois países anunciaram que um carregamento de 2 milhões de doses da vacina chegará ao país. O Instituto Serum é um dos centros capacitados pela AstraZeneca para produzir sua vacina.

Num comunicado do início de janeiro, a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) confirmou a negociação e indicou que o "instituto oferecerá as vacinas prontas ao mercado pelo valor de US$ 5,25 cada". 

Nas últimas semanas, um suposto erro da ministra belga do Orçamento permitiu que os preços das diferentes doses de vacinas fossem revelados ao público europeu. De acordo com uma mensagem em suas redes sociais, Eva De Bleeker indicou que a UE teria negociado um preço de US$ 2,16 por dose da vacina da AstraZeneca.

Viver é Perigoso

4 comentários:

Anônimo disse...

Pois é....tudo por dinheiro....tão ficando bilionários...e o povo óóó...toma vachina....

Anônimo disse...

Pfizer US$ 19,50. Moderna US$32,00. Israel líder mundial na vacinação pagou 43% a mais para a Pfizer mas garantiu as doses necessárias. População e país pequenos, fez um acordo com a farmacêutica de acompanhamento epidemiológico em situação real para ver quando chega a imunidade coletiva.
Esperto como 2 vizinhos árabes Emirados e Bahrein . Vâo sair da crise sanitária e econômica antes de todos. Aqui em agosto de 2020 a dupla Bolsonaro/Passuelo esnobaram a Pfizer que na época ofereceu 70 milhões de doses. E ainda veio com aquela besteirada de mulher criar bigode, homem falar fino, jacaré. Que empresa séria voltaria a negociar com um governo liderado por um louco? Observador da cena.

Edson Riera disse...

Observador de Cena

Li que a Pfizer exige -70º no estoque. No Brasil complica.

Zelador

Anônimo disse...

Caro zelador, a solução foi apresentada pela farmacêutica ao governo brasileiro e a outros governos com aquelas caixas especiais de gelo seco - dióxido de carbono- que facilitariam o transporte e garantiriam a qualidade por 15 dias. Pelo que estamos vendo nesse inicio da distribuição e vacinação com as outras vacinas, tempo mais que suficiente para usá-la. Abs. Observador da cena