sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

O ÚLTIMO DO ANO


Ontem, terminei de ler o meu último livro de 2020. Quase 600 páginas de terror. Não se tratou de um romance ou algo assim. Realidade pura. Relatórios, depoimentos, investigações, delações, sem tendências ou viés.

"A Organização - Odebrecht e o esquema de corrupção que chocou o mundo". (Companhia das Letras).

As engrenagens de um sistema de pagamentos de propinas que parecia inviolável. As relações de confiança entre políticos de todos os espectros ideológicos e os maiores empreiteiros do Brasil.

Bastidores nunca vistos da Lava Jato.

Uma guerra sangrenta entre pai e filho pelos rumos de um colosso empresarial ameaçado de morte.

A história completa (e a secreta) da ascensão, do auge e da queda da Odebrecht.

Centenas de figurões da política, do Brasil e de diversos outros países, citados, denunciados e envolvidos com o oceano de propina.

A grande maioria, principalmente no nosso País, lamentavelmente, seguindo livre, leve e solta.

Duríssimas as ações da Lava Jato, por vezes, até mesmo escapando das liturgias prescritas pelos manuais. Os condenados tentam hoje nos tribunais, recorrerem a possíveis falhas técnicas que possam e devem ter acontecido, mas não questionam o pecado, o erro.

Como dizem na Boa Vista, é claro, "não escapa um".

Bom de ler.

Vou buscar para ler nesse início do ano, para descansar a cabeça, algum livro de terror.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: