quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

LIVRO, PRESENTE DE AMIGO

 


Não deixa de ser atual. A figura de Julio de Mesquita Filho é o tema de Irredutivelmente Liberal: Política e Cultura na Trajetória de Julio de Mesquita Filho (Albatroz Editora) - 480 págs.

Trata-se da edição em livro da tese de mestrado em diplomacia defendida no Instituto Rio Branco pelo diplomata Roberto Aldo Salone, que, por dois anos, pesquisou livros, jornais e revistas e ouviu, simultaneamente, pessoas que conviveram com Julio de Mesquita Filho, para traçar o seu perfil e mostrar a luta de seu jornal, O Estado de S. Paulo, contra as arbitrariedades de governos ditatoriais.

JMF esteve exilado por duas vezes. A primeira depois de lutar na Revolução Constitucionalista de 1932 ( o Dr. Theodomiro Santiago foi junto) e a segunda após o golpe do Estado Novo, de 1937.

Julio de Mesquita Filho foi, entre os dois exílios, o coordenador da fundação da Universidade de São Paulo. 

Rompeu com a Revolução de 1964, que havia apoiado, ao perceber que os generais não iam restaurar a democracia. Amargurado com a publicação do Ato Institucional nº 5, parou de escrever editoriais, em 13 de dezembro de 1968, sete meses antes de morrer. 

Disse certa vez JMF para um jovem jornalista:

"Se você tiver dúvida a respeito e uma notícia, não a publique. Se não tiver, mas tiver medo das consequências, também não a publique. Mas nesse caso abandone a profissão. O jornalismo não foi feito para covardes."

Viver é Perigoso

2 comentários:

Anônimo disse...

Estimulado pelo post Constatação
O comprometimento do futuro
Em 2020, ano marcado pelo novo coronavírus, quarentena e interrupção de aulas presenciais, 8,4% dos estudantes com idade entre 6 e 34 anos matriculados antes da pandemia informaram que abandonaram a escola.O percentual representa cerca de 4 milhões de alunos, montante superior ao da população do Uruguai.Questões financeiras e falta de acesso a aulas remotas estão entre os principais motivos do abandono.
É fazer o que chorar? Júlio de Mesquita choraria.

Anônimo disse...

Dr. Teodomiro Santiago tb choraria.