segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

FILME ANTIGO


1 - INTRODUÇÃO

Benito Mussolini ascendeu ao posto de primeiro-ministro após alcançar grande popularidade com o discurso virulento contra a esquerda e a violência praticada contra os seus adversários políticos. 
Se a nova posição não foi recebida com o mesmo entusiasmo dos nacionalistas e da direita em geral, que, naquele momento, comungavam de projetos aparentados com o fascismo, recebeu a adesão implícita dos liberais, seja por omissão deliberada, seja por engajamento escancarado: “Antes Mussolini do que a esquerda”.

Uma vez no poder, Mussolini iniciou seu projeto da Itália fascista: concentrou todos os poderes administrativos; silenciou a oposição que ainda resistiu, perseguindo sindicalistas, socialistas, intelectuais e qualquer voz dissidente, inclusive ex-apoiadores. 

Entre 1925 e 1927, desmantelou todas as proteções constitucionais que garantiam a liberdade de expressão e de associação, instituindo um Estado policial. Implementou um intenso programa de culto à personalidade, colocando-se, na condição de Duce (líder), como a figura central da nação. 
Partidos políticos foram suspensos nesse período e uma nova lei eleitoral aboliu as eleições parlamentares.

2 - LIVRO "M - O FILHO DO SÉCULO

Narrativa surpreendente conta a ascensão do fascismo sob a ótica de Mussolini. O romance M, o filho do século (Editora Intrínseca/ 811 páginas) - Antonio Scurati -  conta em trama eletrizante a história de Mussolini e sua ascensão de agitador político a líder do fascismo sob a perspectiva do ditador e de seus íntimos, durante o período de 1919 até 1925. 
Valendo-se de vasta base documental, Antonio Scurati traz uma narrativa totalmente calcada na realidade, porém elaborada com os recursos que fazem com que o leitor entre na mente dos grandes personagens da ascensão do fascismo, compreenda todo o clima da época e assista a tudo como se lá estivesse. 
Muitas vezes irônico, ácido e — por que não? — irreverente, Scurati brinda o leitor com uma premiada obra-prima que em diversos momentos assume ares de roteiro de filme. Mas nem por isso o autor atenua fatos ou banaliza atrocidades. 
Ao aproximar o leitor de um dos maiores ditadores do século XX, mostrando também seus percalços, mazelas e habilidades, Scurati revela como a história é definida por pessoas em última análise comuns, com o consentimento — ou ignorância — de pessoas comuns.

Blog: Bom de ler. A historia costuma a se repetir.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: