quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

CHEGOU A HORA...


O banqueiro e fundador do Grupo Safra, Joseph Safra, morreu nesta quinta-feira (10/12) aos 82 anos de causas naturais, informou uma nota divulgada pela assessoria de imprensa do Banco Safra.

Segundo a revista americana Forbes, Safra era o brasileiro mais rico do mundo, com fortuna avaliada em 119 bilhões, tendo ultrapassado Jorge Paulo Lemann, fundador da AB Inbev, neste ano.

Mas, de acordo com o Índice de Bilionários da Bloomberg, atualizado diariamente pela agência de notícias financeiras de mesmo nome, Safra era o 2º homem mais rico do Brasil e o 101º do mundo, com patrimônio de US$ 17,6 bilhões (R$ 90 bilhões). Neste ranking, Lemann aparece na frente, na 57ª posição, com fortuna de US$ 23,7 bilhões (R$ 120 bilhões).

Também era o banqueiro mais rico do mundo.

BBC

Viver é Perigoso

ÊPA !


O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira o primeiro caso de reinfecção pelo novo coronavírus no Brasil. De acordo com a pasta, o caso é de uma profissional da saúde de 37 anos que mora em Natal. Ela contraiu a doença em junho, se curou e teve resultado positivo novamente em outubro - 116 dias depois do diagnóstico inicial. 

Episódios de contágio de pessoas que tinham superado o vírus já foram detectados em outros países, mas são considerados raros. A primeira confirmação ocorreu em 24 de agosto, em Hong Kong. Na América do Sul, o Equador foi o primeiro país a divulgar caso semelhante - um homem de 46 anos que foi diagnosticado com covid-19 em maio voltou a apresentar sintomas mais graves em agosto. 

Em nota, o ministério alerta que o caso de reinfecção reforça a necessidade da adoção do uso contínuo de máscaras, higienização constantes das mãos e o uso de álcool em gel.

Viver é Perigoso

...E JÁ NÃO PODEMOS DIZER NADA

 


Viver é Perigoso

TOMOU O BARCO

 


Tomou o barco Paolo Rossi Campeão do Mundo com a seleção italiana e carrasco do Brasil em 1982. O ex-jogador morreu ontem (9), aos 64 anos. 

Paolo foi quem marcou os três gols da vitória que eliminou a seleção brasileira, apontada como uma das maiores da história, daquele Mundial.

Aos 10 anos, José Carlos Vilella Jr. foi protagonista de um dos melhores momentos do jornalismo brasileiro. Na tarde de 5 de julho de 1982, no estádio do Sarriá, em Barcelona, o garoto foi clicado pelo fotógrafo Reginaldo Manente enquanto chorava a eliminação brasileira na Copa da Espanha.

No dia seguinte, seu rosto triste estampava a capa do “Jornal da Tarde”, na edição de maior tiragem da história de um dos mais importantes jornais de São Paulo. Somente a foto, ampliada, sem texto nenhum além da data da tragédia do Sarriá. 

A imagem ganhou o Prêmio Esso, láurea maior entre os jornalistas do país.

Viver é Perigoso

HABEMUS REITOR

 


Está escrito: 

"Os últimos serão os primeiros"

Viver é Perigoso