quarta-feira, 23 de setembro de 2020

TARDA, MAS ÀS VEZES NÃO FALHA


A Volkswagen do Brasil assinou hoje um TAC (Compromisso de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público Federal em São Paulo, o Ministério Público do Estado de São Paulo e a Procuradoria do Trabalho em São Bernardo do Campo, órgão do Ministério Público do Trabalho.

Por meio do acordo, a empresa vai pagar R$ 16,8 milhões à Associação dos Trabalhadores da Volkswagen. A maior parte da verba, informa nota enviada pela montadora, será destinada a ex-funcionários que manifestaram terem sofrido violações de direitos humanos durante a ditadura militar - ou seus sucessores legais

O TAC totaliza R$ 36 milhões em iniciativas para promover "o esclarecimento da verdade sobre as violações dos direitos humanos naquela época".

Diz a Volks (Hiltrud Werner):

 "Lamentamos as violações que ocorreram no passado. Para a Volkswagen AG, é importante lidar com responsabilidade com esse capítulo negativo da história do Brasil e promover a transparência", Do total,  R$ 10,5 milhões vão custear "projetos de promoção da memória e da verdade em relação às violações de direitos humanos ocorridas no Brasil durante a ditadura militar".

Ainda, a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) receberá R$ 4,5 milhões para identificação de vítimas enterradas em valas comuns e "apurar a cumplicidade de empresas em violações de direitos humanos durante o governo militar". 

O restante do dinheiro irá para os Fundos Federal e Estadual de Defesa e Reparação de Direitos Difusos e servirá para custear parte da construção do Memorial da Luta pela Justiça.

Com a assinatura do TAC, os inquéritos que investigam a Volkswagen serão arquivados pelo Conselho Superior do Ministério Público do Estado de São Paulo no Ministério Público Federal. 

Registrando:

De acordo com reportagem de Emma Thomasson, da Reuters, uma comissão nomeada pelo governo que investiga abusos durante a ditadura no Brasil encontrou evidências de que empresas como a Volkswagen secretamente ajudaram os militares a identificar suspeitos "subversivos" e ativistas sindicais em suas folhas de pagamento. 

Muitos dos trabalhadores foram demitidos, detidos ou assediados pela polícia e não conseguiram encontrar novos empregos durante anos, segundo uma investigação da Reuters de 2014.

(Uol)

Viver é Perigoso

NAS MÃOS DOS PREFEITOS


O governo de Minas Gerais, por meio do secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Amaral, autorizou em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (23) que 218 cidades que estão na onda verde do Minas Consciente podem retomar aulas presenciais no ensino básico – que contempla a educação infantil, a fundamental e o Ensino Médio – a partir do próximo dia 5. 

A presença não será obrigatória

Também a partir da próxima semana, instituições de ensino superior públicas e privadas já podem retomar aulas presenciais em Minas Gerais.

A prefeitura de Belo Horizonte disse, em nota, que vai recolher o alvará de funcionamento de todas as escolas infantis, fundamentais, ensino médio e superiores da cidade. De acordo com a prefeitura, BH não tem "indicadores epidemiológicos que nos deem segurança do retorno as aulas colocando em risco a vida de professores, alunos e familiares, além da possibilidade de provocação de surtos da pandemia a partir da redução do distanciamento nas escolas".

Blog: Sei não...

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

 


O estudo (esboço) "Operários" - 1933, da Tarsila, foi vendido ontem no Leilão do acervo do Banco Santos por R$ 1.300.000,00.

Viver é Perigoso 

POIS É...


Ouvido hoje na Boa Vista, é claro:

" Pois é...muitas das metas não foram alcançadas. Nem todo o objetivo foi atingido. Por exemplo: não conseguiram fechar a Santa Casa, apesar de todos os esforços. Caso continuem no poder continuarão tentando. Claro que não conseguirão."

Viver é Perigoso 

COMPARAÇÃO INFELIZ


"Jair Bolsonaro abriu os debates da Assembleia Geral da ONU com um discurso de vereador em caçamba de caminhão.
"

Elio Gaspari

Blog: Protesto veemente do Blog pela comparação com vereador. Caçamba de caminhão, tudo bem, é comum.

Viver é Perigoso

BOTECOS E VELÓRIOS

 

Viver é Perigoso